Marco Barbosa anuncia corte de CCs na Câmara - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Barbosa anunciou essa e outras medidas nesta terça - Foto:Divulgação/Câmara

Marco Barbosa anuncia corte de CCs na Câmara

Redução do número de cargos em comissão, realização de concurso público, maior transparência no Legislativo e a implantação do planejamento estratégico foram algumas das medidas anunciadas pelo presidente da Câmara de Vereadores, Marco Barbosa, durante entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (6). Segundo ele, a adoção de uma gestão moderna, nos moldes do que acontece na iniciativa privada, com mais organização e metas a serem cumpridas tenderão a dar mais eficiência ao Legislativo como um todo.

No ponto das economias possíveis, Barbosa destacou que haverá uma limitação no uso de carro oficial pago com recursos da Câmara. O veículo será utilizado exclusivamente para trabalhos administrativos não sendo disponibilizado para vereadores e até mesmo para o presidente. “Eu vou usar o meu carro particular”, disse. A economia será de R$ 9.663,00 por ano. Já o cafezinho também entrou no corte. Era a Câmara que pagava o café para os gabinetes dos vereadores e agora cada um terá que comprar o seu. A economia será de R$ 29.208,68.

Publicidade

O corte maior nas despesas, contudo, será na redução de 12 cargos em comissão e 1 de função gratificada. O projeto prevendo os cortes será apresentado nesta terça-feira (7), quando acontece a primeira sessão da nova legislatura. Serão cortados 8 cargos de assessor de gabinete e quatro de assessor da mesa diretora – Vão ficar nove cargos. A economia com os cortes de cargos em comissão será de R$ 600.730,19 e de R$ 80.000,00 com o corte do cargo de função gratificada – esse servidor ganhava um adicional de R$ 6.666,66 por mês.

Obras

Marco Barbosa também fará obras na Câmara. A primeira é na sala das comissões. Ela terá uma parede de vidro para o corredor, permitindo que as pessoas vejam que os vereadores estão trabalhando. Outra é no telhado. Ele foi mal projetado e as telhas acabam quebrando. Hoje, segundo ele, há muitas goteiras. O telhado novo vai ser utilizado para a captação da água da chuva que ficará armazenada em uma cisterna. “Com este projeto, vamos reduzir o gasto com água”, destaca. O novo telhado já será projetado para receber, no futuro, painéis solares.

Publicidade

Transparência

As reuniões das comissões do legislativo, responsáveis por darem parecer em projetos, serão transmitidas pela internet. Hoje, elas são abertas e qualquer cidadão pode acompanhar, mas ocorrem durante o dia. “Com a transmissão pela internet vamos permitir que as pessoas possam acompanhar as reuniões de casa ou do trabalho. É ali naquela sala que acontecem os grandes debates e o cidadão poderá acompanhar”, diz. O início das transmissões deverá começar até o final de abril, assim que as obras estiverem concluídas e a estrutura montada.

O presidente ainda quer implantar o projeto da Câmara Itinerante.  “Queremos levar a Câmara para a rua. A gente quer se aproximar da comunidade para mostrar o que é a Câmara e qual o seu papel. Queremos fomentar a maior participação do cidadão”, destaca.

Os projetos de Marco Barbosa

– Redução no número de CCs

– Novo site integrado ao sistema informatizado de processo legislativo

– Transmissão ao vivo pela internet das reuniões das comissões

– Reestruturação da sala de imprensa e comissões

– Cursos de capacitação dos servidores e CCs

– Implantar o projeto Câmara na Rua

– Sustentabilidade: reforma do telhado e captação de água

– Implantação da coleta seletiva

– Criação do projeto Ponto de Leitura

– Implantação do sistema informatizado do processo legislativo

– Estudo para realizar concurso público para cargos que ficarão vagos e novos

Finanças do legislativo

– A Câmara vai receber da Prefeitura o repasse legal de R$ 13.703.053,96

– Ela pode gastar até 70% desse valor com pagamento de pessoal

– A Câmara abrirá mão de receber R$ 1.245.732,18 da Prefeitura esse ano.

– A Câmara devolve para a Prefeitura no final do ano o que não gasta. Nos últimos quatro anos, foram devolvidos R$ 2,6 milhões. O prefeito é que define onde aplica o dinheiro.

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.