Zaffa é a favor do pedágio na RS-118, mas defende duas condições - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
"Tem que ser barato", diz Zaffa - Foto: Divulgação/PMG/Arquivo

Zaffa é a favor do pedágio na RS-118, mas defende duas condições

Rodovia está no Bloco 1 das concessões que o Governo do Estado anunciou na última quarta-feira

Publicidade

Gravataí – Enquanto cresce o movimento na região contra a instalação de uma praça de pedágio na RS-118, rodovia que está no Bloco 1 das concessões que o Governo do Estado anunciou na semana passada, o prefeito de Gravataí, Luiz Zaffalon, se posiciona de forma favorável. Ele, contudo, defende duas condições para não ser contrário.

Publicidade

A primeira delas é que a praça seja instalada em um local que não atrapalhe a mobilidade da cidade. Já a segunda, está no preço: “tem que ser barato”, disse Zaffalon à reportagem. O prefeito destaca que o pedágio é uma alternativa importante para a manutenção da rodovia e também realização de obras que o Estado não consegue suportar.

Publicidade

O Estado não divulgou ainda a localização das praças no Bloco 1 e deverá abrir na próxima sexta-feira (18) uma consulta publica revelando os locais escolhidos. O prefeito destacou que ainda não sabe detalhes sobre o pedagiamento e localização. A informação que circula é que a praça seria instalada logo depois do cruzamento com a freeway impactando no bolso de motoristas que se deslocam para Alvorada e Viamão.

No plano de concessão, cujos leilões estão previstos para o final do ano, a empresa vencedora ficaria responsável pela manutenção da rodovia e duplicação do trecho entre Gravataí e Viamão.

Publicidade

O Conselho Gestor do Programa de Concessões e Parcerias Público-Privadas publicou no Diário Oficial do Estado na última segunda-feira que a tarifa será calculada levando em conta trechos duplicados e de pista simples. No Bloco 1 haverá uma parcela fixa que será de R$ 4,00 e dois valores variáveis. Ele são de R$ 0,0981 por quilômetro de pista dupla e R$ 0,0755 por quilometro de pista simples. Quantas praças existirão no Bloco 1 e como as tarifas serão definidas em cada uma ainda não foram divulgados.

As Câmara de Vereadores de Gravataí e Cachoeirinha aprovaram a criação de frentes parlamentares contra o pedágio na rodovia. Representantes de entidades empresariais integram o movimento argumentando que a cobrança de pedágio vai prejudicar a mobilidade na região causando reflexos negativos para o desenvolvimento da economia, além de onerar ainda mais empresas, principalmente da área logística, se refletindo em aumento de preços de produtos para os consumidores.

O secretário de Logística e Transportes do Estado, Juvir Costella, chegou a gravar um vídeo há alguns dias chamando de fake news a possível instalação de um pedágio na RS-118 se referindo ao trecho duplicado que teve um investimento de pelo menos R$ 400 milhões e levou 20 anos para ser concluído.

LEIA MAIS

RS-118 e RS-020 serão concedidas e vai ter pedágio

Atualizada – 16/06/21 – 09h38min

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.