Smed divulga orientações para planos de contingência das escolas - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí

Smed divulga orientações para planos de contingência das escolas

Objetivo é auxiliar na preparação para o retorno seguro da volta às aulas, quando isso for possível. Pesquisa aponta que 90% não quer o retorno enquanto perdurar a pandemia

Cachoeirinha – A Secretaria Municipal de Educação (Smed) preparou um material de orientação para as escolas elaborarem seus planos de contingência, que são os protocolos que serão adotados em casa unidade de ensino para receber alunos e trabalhadores de forma segura a fim de que se evite o contágio e propagação do Coronavírus. Cachoeirinha começou a adotar novamente, a partir desta terça-feira (29), as regras da Bandeira Laranja. É preciso que se mantenha por duas semanas ou mais nesta bandeira, ou nas formas mais brandas, para que o retorno às aulas presenciais seja considerado pelo Governo do Estado.

Publicidade

Para que isto ocorra, as escolas devem ter seus planos de contingência aprovados pela Smed. “Algumas escolas já entregaram seus planos e serão visitadas”, lembrou a secretária da pasta, Alessandra dos Santos.

Pesquisa

A Smed divulgou também o resultado da Consulta Pública Virtual realizada através de formulário disponibilizado na página da Prefeitura no Facebook entre os dias dois e cinco de setembro. O objetivo da pesquisa era ouvir a comunidade acerca do retorno  às aulas presenciais na rede pública municipal. Mais de cinco mil pessoas participaram, respondendo a uma série de perguntas sobre o tema.

Publicidade

Dentre os dados recolhidos, a Smed revela que, na Educação Infantil, 74% das famílias não levaria o filho à escola, enquanto perdurar a situação de pandemia. Já no Ensino Fundamental, o percentual ficou em 90%. Os mesmos percentuais foram verificados quando a pergunta era sobre ser favorável ao retorno às aulas presenciais enquanto prevalecer a situação de pandemia. A Consulta também questionou se os alunos pertencem ao “grupo de risco”. Na Educação Infantil, este percentual foi de 30%, menor do que no Ensino fundamental, que foi de 40%. Sobre o uso de transporte público ou privado, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, os percentuais do número de alunos que faz uso de transporte para ir à escola são semelhantes, 17% e 19%, respectivamente.

Conforme a Smed, a consulta servirá para o estabelecimento de estratégias e de políticas públicas referentes à retomada das aulas presenciais, para que sejam garantidas a qualidade e a segurança no serviço. “Esse documento será levado a estudo junto aos diretores das instituições de ensino municipais para pensarmos nos planos de contingência, ações e metodologias pedagógicas para qualificar o período das aulas não presenciais e, para quando for possível, o retorno presencial, ainda sem previsão. Assim, como para protocolos de atendimento da comunidade”, destacou a titular da pasta, Alessandra dos Santos.

Clique aqui para acessar o material de orientação.

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.