Prefeitura realiza ciclo de palestras de prevenção do suicídio - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
As palestras ocorreram na Ulbra de Gravataí - Foto: Giulliano Pacheco/PMG

Prefeitura realiza ciclo de palestras de prevenção do suicídio

Metade dos afastamentos do trabalho no Brasil são relacionados a problemas emocionais e psiquiátricos

Gravataí – O maior caso de abstenção no trabalho são os problemas psicológicos. Apesar de comum, esses episódios ainda são um tabu. Nesta quarta-feira (18), aconteceu a palestra de Prevenção do Suicídio e Saúde Mental e Trabalho, promovido pela Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria Municipal da Administração, Modernização e Transparência (Smat), Secretaria Municipal da Saúde (Sms) e pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt). O evento, direcionada aos agentes de endemias e agentes comunitários de saúde, integra a programação do Setembro Amarelo e aconteceu no auditório da Ulbra Gravataí.

Com extensa programação, a atividade iniciou às 14 horas e encerramento previsto para as 21h45. Assim, a assistente social Andreia Volkmer abriu a rodada de palestras. Coordenadora do Núcleo de Doenças e Agravos Não Transmissíveis (Cevs), que pertence a Secretaria Estadual da Saúde (SES) e ao Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Andreia abordou aspectos como a notificação das tentativas de suicídio, além de ações de prevenção, como o apoio emocional do Centro de Valorização da Vida (CVV).

Falta solidariedade no Trabalho

“Nós temos que repensar as condições de trabalho”, destacou a segunda palestrante do evento, Cláudia Magnus, que é psicóloga do Hospital Psiquiátrico São Pedro. Frisou que a organização do trabalho não vai bem, já que “estamos produzindo doença e não saúde”. Antigamente, como lembra, a presença de solidariedade no ambiente de trabalho já era uma “blindagem” para a saúde mental do trabalhador. “Havia reconhecimento, e outras questões sociais que ajudavam. Mas hoje não temos. Estamos num mundo marcado pelo individualismo. Cada um pensando em si, com metas inatingíveis, e tudo isso colabora para desqualificar o trabalho e fazer com que as pessoas sofram. Temos casos de estresse, mas também de patologias que não percebíamos no mundo do trabalho, como a automutilação e a tentativa de suicídio”, reforçou.

É necessário trabalhar a prevenção

Conforme destacou a psicóloga Cláudia Magnus, o adoecimento do trabalhador gera gastos tanto à iniciativa privada quanto pública, sendo necessário trabalhar na prevenção e promoção da saúde no trabalho. “Mesmo que o quadro de depressão for pré-existente, mas agravado pelo trabalho, o trabalhador deve procurar um médico, um psicólogo”, disse.

As doenças mentais são responsáveis por cinco a cada 10 afastamentos do trabalho no Brasil, e a principal delas é a depressão. Cada vez mais se mostra importante o investimento em um ambiente organizacional de qualidade, já que os problemas de saúde relacionados ao trabalho não são apenas desgastantes ao funcionário, mas para a empresa também.

Mostra de Atividade de Saúde Mental

Encerrando o ciclo de palestras da tarde, foi apresentada a “Mostra de Saúde Mental com Acessibilidade para Deficientes Visuais”, promovido pela Prefeitura de Gravataí. Organizado pelos servidores públicos Imara Rejane Machado Rinkevicius, assistente social, Cleni Duarte de Oliveira, técnica em Segurança do Trabalho e Antônio Hartmann, técnico em Segurança do Trabalho que pertencem a Secretaria Municipal da Administração, Modernização e Transparência, durante o ano inteiro, realizam encontros junto aos servidores públicos municipais para abordar o tema, trabalhando a informação como prevenção. O trio entende que expor dados sobre transtornos psiquiátricos e promover um trabalho preventivo, é necessário antes que haja a necessidade de tratamento.

As atividades da noite iniciam às 19h com previsão de encerramento às 21h45.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.