Prefeitura de Gravataí promove Blitz da Prevenção - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Mais uma ação do Outubro Rosa - Foto: Douglas Rosa/PMG

Prefeitura de Gravataí promove Blitz da Prevenção

Durante o evento, foram distribuídos materiais educativos, ofertados testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C, além de outras ações

Publicidade

Gravataí – A Prefeitura de Gravataí, por meio do Gabinete da Primeira-Dama, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e da Secretaria Municipal de Governança e Comunicação Social (SGCOM), promoveu, na última sexta-feira (22), a Blitz da Prevenção. Durante o evento, que ocorreu na Praça da Bíblia, em frente à prefeitura, foram distribuídos materiais educativos, ofertados testes rápidos de HIV, sífilis, hepatites B e C e orientação sobre os serviços prestados pela Casa Lilás, que atende mulheres vítimas de violência doméstica. 

A primeira-dama Marlene Zaffalon, que esteve ao lado do prefeito Luiz Zaffalon na atividade, falou sobre a importância de as mulheres se cuidarem em todos os sentidos. “No mês em que tratamos sobre a conscientização do câncer de mama, nós reforçamos, com este e outros eventos programados, a importância do autocuidado em todas as áreas da vida das mulheres”, disse Marlene. 

Publicidade

Ao longo de todo o mês de outubro, estão sendo promovidas diversas atividades em prol da saúde da mulher. Somente na ação desta sexta-feira, de acordo com a coordenadora do Serviço de Assistência Especializada (SAE) da SMS, Tatiane Silva, foram realizados 39 testes de HIV, 39 de sífilis, 39 de hepatites B e C e 20 encaminhamentos para mamografia. “É um mês de prevenção. Por isso, a importância de ações ampliadas como a que ocorreu hoje”, disse Tatiane. 

A Casa Lilás, da SGCOM, que também esteve presente no evento, ao lado da Patrulha Maria da Penha, da Brigada Militar (BM), orientou as mulheres sobre onde procurar ajuda em caso de violência doméstica e sobre os serviços que são ofertados pela Casa, que vai desde o acolhimento até o atendimento jurídico e psicológico. “Saber onde procurar ajuda é um passo fundamental para que as mulheres se sintam mais seguras na hora de denunciar”, lembrou a coordenadora da Casa Lilás, Analu Sônego. 

Publicidade


O evento contou, também, com a participação da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA).

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.