Havan já tem endereço e vai enfrentar polêmica com comerciários - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Depois de Gravataí, é a vez de Porto Alegre - Foto: Divulgação

Havan já tem endereço e vai enfrentar polêmica com comerciários

Empresa, que confirmou seu endereço em Gravataí ao protocolar o pedido de licença para as obras, abre nos feriados e comerciários são contra

Gravataí – A Havan confirmou que vai instalar sua loja de departamentos na RS-118, ao lado do Parque de Eventos Ireno Michels, esquina com a estrada Passo do Hilário. A documentação pedindo autorização para o início das obras foi protocolado na prefeitura de Gravataí na última quarta-feira. Segundo o prefeito Marco Alba, o prazo para a análise é de 30 dias, estando toda a documentação dentro das exigências legais.

Publicidade

A estrutura terá 11,8 mil metros quadrados e serão gerados cerca de 150 empregos. Ainda não há um cronograma definido para a seleção dos funcionários, segundo a analista de expansão da empresa, Sandra Inês Pickler explicou ao oreporter.net na manhã desta segunda-feira (22). “Não chegamos nesta etapa ainda e não temos também um prazo definido para ser elaborado o cronograma”, resume.

A área da Havan na RS-118

Independentemente disso, uma possível polêmica poderá surgir. A Havan também abre suas lojas nos domingos e feriados. Para o presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Canoas, que abrange Gravataí, Antonio Fellini, a empresa ainda não fez contato para tratar de um possível acordo. Hoje, as lojas de Gravataí não abrem nos feriados.

“Eu não sei ainda qual é a política da empresa. Não fomos procurados. Sobre o trabalho nos feriados, somos contra. Já fizemos uma pesquisa em algumas lojas e os comerciários se posicionaram de forma contrária. Esse assunto é delicado. Se eles querem abrir nos feriados, quando os funcionários vão descansar? Como ficam as funcionárias que têm filhos? Vão ter creche para deixar eles? E se eles quiserem abrir nos feriados e as demais lojas não eu acho um desaforo”, afirma Fellini.

Publicidade

O presidente do Sindilojas, José Rosa, também não foi procurado ainda para tratar especificamente sobre a questão de trabalho na Havan. “Ainda não tratamos sobre esse assunto. Ainda ontem (domingo) eu conversei como Milton ( Milton Hang, diretor da empresa e irmão de Luciano Hang), mas falamos sobre assuntos gerais. Eu acho que a Havan se enquadra no mesmo segmento do Big e Carrefour. Eles vendem de tudo também e podem abrir nos feriados, respeitando, logicamente, a legislação”, afirma.

A prefeitura de Gravataí, segundo Rosa, já estaria analisando a possibilidade de enviar para a Câmara de Vereadores um projeto de lei regulando o trabalho nos domingos e feriados para evitar maiores entraves para a Havan, embora seja possível estabelecer um acordo entre a empresa, Sindilojas e Comerciários.

Fellini acredita que a questão dos feriados poderá acabar sendo decidida em uma assembleia geral da categoria. Foi isto que aconteceu em Santa Cruz do Sul, onde o caso envolveu até o Ministério Público.

Na assembleia da categoria ficou definido um piso de R$ 1.475,00, vale-alimentação de R$ 395,20, auxílio-creche de R$ 160,00, quebra de caixa de R$ 162,50, prêmio para trabalho aos domingos de R$ 50,00 mais uma folga e R$ 85,00 para trabalho em feriados, além da folga. A empresa paga ainda participação nos resultados. Hoje, em Gravataí, o piso da categoria é de R$ 1.310,00, além de outras vantagens.

Para o presidente do Sindilojas, Gravataí deverá chegar a um entendimento quando chegar o momento da discussão. “Nós precisamos ter a cabeça aberta para resolvermos todas as questões pensando sempre em gerar emprego e renda. Se nós queremos crescer, precisamos fazer o mesmo que grandes centros no país e no exterior estão fazendo, sempre obedecendo as normas”, enfatiza.

O perfil de funcionário que a Havan quer

O gerente de Recursos Humanos da Havan, Aurélio Paduano, está em férias e a reportagem não conseguiu contato com ele nesta segunda. Para a Rádio Gazeta, de Santa Cruz do Sul, ele deu detalhes sobre o perfil do funcionário que a empresa vai selecionar:

“Nós vamos procurar pessoas que tenham atitude, que pensem fora da caixa. Nós queremos profissionais diferenciados, que sabem ousar um pouco. Tem que ser simpático, comunicativo e feliz”, disse.

Os interessados não precisarão ter experiência e devem ter o ensino médio completo. Entre as funções estão operador de caixa, auxiliar de vendas, fiscal de loja, conferente de estoque, vendedor (setor de eletro/eletrônico e serviços) e zelador.

O modelo usado em Santa Cruz será o mesmo em Gravataí. Parte dos funcionários serão contratados durante as obras e passarão de uma semana a 18 dias em treinamento em uma loja já em operação. Os demais serão chamados alguns dias antes da inauguração.

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.