Bebê de apenas três meses morre na Rua Quatro, no Jardim Conquista - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Engasgos são comuns - Foto: Arquivo

Bebê de apenas três meses morre na Rua Quatro, no Jardim Conquista

Conforme informações do Conselho Tutelar, a menina teria se engasgado com leite materno

Cachoeirinha – Um bebê de 3 meses morreu nesta sexta-feira (30) após se engasgar com o leite materno, em Cachoeirinha. Ele chegou a ser socorrida ao hospital Padre Jeremias, mas não resistiu.

Publicidade

Segundo relatos da mãe ao Conselho Tutelar, a menina teria mamado e depois foi colocada no carrinho. Em seguida, ela teria ido dar almoço para outra filha e quando voltou para olhar o bebê viu que algo estava errado. Havia vômito na roupa e ela estava revirando os olhos.

A mãe, de 26 anos, teria tentado fazer uma manobra recomendada para estes casos, com tapinhas nas costas, mas o leite que saiu foi pouco e ela não recobrou os sentidos.

Neste momento, ela saiu desesperada pela rua Quatro, no Jardim Conquista, pedindo ajuda e foi socorrida por um vizinho até a avenida Flores da Cunha, na parada 46. Na avenida, eles encontraram uma ambulância. Nela, socorristas tentaram reanimar a menina, sem sucesso.

Publicidade

Ainda segundo o Conselho Tutelar, conforme relatou a médica que atendeu o caso, a criança não apresentava nenhum sinal de maus-tratos. O corpo do bebê foi recolhido para necropsia no Instituto-Geral de Perícias. A Brigada Militar foi acionada por volta das 14 horas para ser comunicada sobre o ocorrido, já que isto é um protocolo a ser seguido pelos hospitais, e o caso foi registrado na 1ª Delegacia de Polícia de Cachoeirinha para investigação

Saiba mais sobre engasgos e o que fazer

Episódios de engasgo e broncoaspiração são comuns na infância. Bebês, por exemplo, podem engasgar com o leite durante a amamentação ou ao golfar enquanto dormem. Em crianças menores, o risco maior é de broncoaspirar alimentos em grão ou engasgar com balas ou pequenos objetos levados à boca por curiosidade. Para saber identificar e socorrer os pequenos nessas situações, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) oferece algumas orientações.

O primeiro passo é observar se o bebê está com a pele arroxeada ou pálida, sinais de que ele está engasgado. A pediatra Augusta Regina Nespoli Bomfim, da Unidade de Urgência do Hospital Estadual Infantil de Vitória, Espírito Santo, orienta a não provocar vômito na criança. Ela recomenda que o adulto apoie a criança no antebraço, mantendo-a levemente curvada para baixo. Ainda nessa posição, deixe a criança de lado ou de barriga para baixo e dê tapas firmes em suas costas, mas não com muita força, até que o bebê consiga expelir o leite ou o que provocou o engasgo.

A médica orienta aos pais que não sacudam a criança, pois esse movimento pode causar traumatismo ou deslocar o corpo estranho ingerido para locais mais profundos no pulmão.

“Essa técnica pode ser utilizada como uma tentativa de socorro, mas não é um socorro efetivo. Por isso, nessas situações é fundamental que a pessoa entre em contato com o socorro médico. Se possível, que uma pessoa faça a manobra na criança enquanto outra entra em contato com o Samu 192”, orienta a pediatra. Ainda segundo Augusta Regina, mesmo após apresentar sinais de melhora, a criança deve ser levada para o atendimento médico mais próximo.

A pediatra explica que, como os bebês costumam engasgar com o leite materno, é importante deixá-los em pé, no colo, após a amamentação e deitá-los somente depois de alguns minutos. Para evitar que o bebê tenha refluxo durante o sono, a orientação é deixá-lo com a cabeça mais elevada.

“O ideal é que ele durma com a cabeça elevada e deite do lado direito, pois o estômago situa-se do lado esquerdo. Dessa forma, evita-se que o bebê pressione o estômago e golfe”, ressalta. A médica recomenda também sempre vigiar a criança enquanto ela estiver dormindo, para que se evite sufocamento por engasgo ou outro motivo.

Já crianças com até dois anos de idade são mais propensas a engasgarem com objetos pequenos, pois estão na fase oral, e podem colocar na boca o que encontram no chão. Portanto, a orientação da pediatra Augusta Regina Bomfim é que os adultos tenham cuidado ao manusear grãos, como milho e feijão, pois podem cair no chão e ficar ao alcance das crianças.

Conforme explica a pediatra, a criança nessa fase pode broncoaspirar esses grãos, ou seja, o alimento pode parar no pulmão em vez de cair no estômago. Em casos assim, a chance de a criança chegar ao hospital ou ser socorrida no local em tempo hábil é maior do que quando ocorre um engasgo. De acordo com a médica, quando a criança broncoaspira um alimento ou um objeto ela pode demonstrar tosse, cansaço e palidez, dependo do corpo estranho que ingeriu.

“O grande perigo de a criança broncoaspirar um corpo estranho é entrar em insuficiência respiratória. Isso porque, seja lá o que o criança tenha engolido, está em seu tamanho normal, mas ao entrar em contato com secreções e mucos do pulmão pode inchar e comprometer a passagem do ar pelo pulmão, levando desconforto respiratório para a criança”, explica a pediatra do Hospital Estadual Infantil de Vitória Augusta Regina Nespoli Bomfim.

Evite engasgos em crianças

– Deixe o chão de casa sempre limpo e tenha cuidado ao manusear alimentos em grão, assim o perigo fica longe das mãozinhas curiosas das crianças;
– Evite dar aos pequenos alimentos como pipoca e bala, pois eles facilitam o engasgo;
– Após a amamentação, deixe o bebê em pé, no colo, por pelo menos 20 minutos antes de deitá-lo;
– Na hora de dormir, lembre-se de fazer com que o berço fique um pouco mais alto do lado em que a criança deita a cabeça;
– Deixe a criança dormir do lado direito para não comprimir o estômago após a amamentação. Isso evita as golfadas e, consequentemente, a sufocação por engasgo;
– Vigie a criança enquanto ela dorme para que as medidas de socorro possam ser tomadas em tempo hábil caso ocorra algum acidente.

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.