Adaptação gravataiense de Dom Quixote de La Mancha é contemplada em editais culturais - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
A peça teatral é apresentado pelo grupo Rococó - Foto: Divulgação/PMG

Adaptação gravataiense de Dom Quixote de La Mancha é contemplada em editais culturais

A obra foi contemplada nos editais de Circulação Estadual (RS) no Fundo de Apoio a Cultura – Fac Movimento

Gravataí – O Fundo Municipal de Cultura é um mecanismo de fomento ao incentivo à cultura e aos profissionais da área cultural da cidade. A Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Smcel), tem orgulho em noticiar que mais uma obra, que teve origem através deste incentivo cultural municipal, está entre as contempladas no Edital de Circulação Estadual (RS) no Fundo de Apoio a Cultura – Fac Movimento.

“Temos orgulho desses artistas gravataienses que aproveitam estas oportunidades para fazer circular suas obras. É o segundo projeto que nasce do Fundo Municipal de Cultura e circula o país inteiro. Que este exemplo sirva de estímulo e referência para que outros artistas de Gravataí possam projetar seus trabalhos com a mesma dimensão”, disse Fernanda Fraga, secretária da Smcel.

A encenação, criada através do Fundo Municipal de Cultura de Gravataí no ano de 2019, já recebeu sete prêmios nacionais de teatro e retrata uma das mais importantes obras da Literatura Mundial, considerada o primeiro Romance Ficcional Moderno, quando publicada provocou imenso impacto em todos os campos da arte: ficcionistas. Poetas, artistas plásticos, dramaturgos, cineastas, entre outros até hoje se inspiram na genialidade da obra para compor a sua própria visão de mundo.

“Quando um livro nos fascina, não hesitamos em recomendá-lo a todos. Este é o motivo da proposta de “De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão” da Rococó Produções, aproximar os jovens leitores da boa literatura. As fantasiosas e divertidas histórias de Dom Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro Sancho Pança, serão apresentadas pelo grupo em cinco cidades do RS além de realizar diversas outras ações como oficinas, bate-papo e interação com diferentes públicos do nosso estado”, disse Henrique Gonçalves, ator, diretor artístico e produtor geral da Rococó.

Com passagem por importantes festivais de Teatro pelo Brasil, as cidades de Gravataí, Camaquã, Canoas, Erechim e Carazinho receberão as ações do projeto “Circulação – De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão” com espetáculo que subverte a tradicional estética da contação de histórias e se vale de teatro, dança, música e flamenco para discutir temas como a amizade e a lealdade, as relações de poder e a imaginação através da leitura. Com um afiado elenco composto por Guilherme Ferrêra e Henrique Gonçalves, que vivem, respectivamente, Dom Quixote e Sancho Pança, o espetáculo atravessa todas as gerações de espectadores, sugerindo muitas camadas de interpretação e convidando adultos e crianças para celebrarem de um mesmo espetáculo através de uma abordagem de linguagem não-violenta com o tempero principal do humor e da diversão.

“O Fundo Municipal de Cultura de Gravataí é extremamente importante para solidificação de artistas do município. Na criação de novos projetos, na manutenção das atividades e pesquisa de grupos/artistas e na credibilidade, pois ao ser contemplado o projeto, diversos resíduos culturais permanentes ficam para a sociedade. Foi através desse edital que tive a oportunidade de criar esse espetáculo, receber inúmeras premiações pelo país e agora ser contemplado num dos principais editais de circulação no estado do RS o – Fac Movimento”, contou Guilherme Ferrêra, ator, diretor artístico e produtor geral da Rococó.

Publicidade

O espetáculo

Enriquecido por uma longa pesquisa na cultura Flamenca, estão presentes no espetáculo, os palmeios, os “pitos”, a percussão corporal e os sapateados que são valorizados pela Trilha sonora original de Pedro Borghetti que nos leva até a Espanha em seus ritmos como as tradicionais “sevilhanas” e “bulerias”.

A região de La Mancha e os povoados de Albacate, Cuenca, Ciudad Real, Toboso e Toledo são recriados pela cenografia, iluminação e adereços do artista Roger Santos, em seus tons de sépia em referência a uma terra seca e poeirenta do centro da Espanha.

Ao longo dos 45 minutos de espetáculo, com indicação etária livre, todas essas questões se apresentam emolduradas por elementos de linguagem visual de rara elegância  em um projeto que se dedica a dialogar com o público infantil-juvenil e adulto, introduzindo uma estética um pouco mais elaborada e reforçando o convite a consumir teatro e leitura ao longo da vida.

Completando o projeto serão realizadas em cada uma das cidades Bate-papo com os espectadores após cada uma das sessões e Oficinas culturais: Contação de Histórias, Flamenco para Iniciantes e Ritmo/Percussão corporal.


Sobre a Rococó

Criada em 2015 pelos artistas Guilherme Ferrêra e Henrique Gonçalves, a produtora Rococó Produções Artísticas e Culturais completa 5 anos de atividades em 2020, e vem se destacando pela concepção e produção de espetáculos que mesclam diferentes linguagens artísticas, estabelecendo uma importante pesquisa em dramaturgia e linguagem cênica para o público infanto-juvenil. As montagens do grupo têm como marca fundamental a fusão de diferentes artes como princípio narrativo, promovendo nos palcos o encontro do teatro com a dança, a música e a contação de histórias.

Além de Guilherme e Henrique, que assinam a direção artística e produção geral da Rococó, o grupo conta com presenças importantes de Roger Santos na iluminação, e Alessandra Bier na Assistência de Produção e elenco que compõem o quadro fixo de artistas do Grupo.

O Fundo Municipal de Cultura é um mecanismo de fomento ao incentivo à cultura e aos profissionais da área cultural da cidade. A Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Smcel), tem orgulho em noticiar que mais uma obra, que teve origem através deste incentivo cultural municipal, está entre as contempladas no Edital de Circulação Estadual (RS) no Fundo de Apoio a Cultura – Fac Movimento.

“Temos orgulho desses artistas gravataienses que aproveitam estas oportunidades para fazer circular suas obras. É o segundo projeto que nasce do Fundo Municipal de Cultura e circula o país inteiro. Que este exemplo sirva de estímulo e referência para que outros artistas de Gravataí possam projetar seus trabalhos com a mesma dimensão”, disse Fernanda Fraga, secretária da Smcel.

A encenação, criada através do Fundo Municipal de Cultura de Gravataí no ano de 2019, já recebeu sete prêmios nacionais de teatro e retrata uma das mais importantes obras da Literatura Mundial, considerada o primeiro Romance Ficcional Moderno, quando publicada provocou imenso impacto em todos os campos da arte: ficcionistas. Poetas, artistas plásticos, dramaturgos, cineastas, entre outros até hoje se inspiram na genialidade da obra para compor a sua própria visão de mundo.

“Quando um livro nos fascina, não hesitamos em recomendá-lo a todos. Este é o motivo da proposta de “De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão” da Rococó Produções, aproximar os jovens leitores da boa literatura. As fantasiosas e divertidas histórias de Dom Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro Sancho Pança, serão apresentadas pelo grupo em cinco cidades do RS além de realizar diversas outras ações como oficinas, bate-papo e interação com diferentes públicos do nosso estado”, disse Henrique Gonçalves, ator, diretor artístico e produtor geral da Rococó.

Com passagem por importantes festivais de Teatro pelo Brasil, as cidades de Gravataí, Camaquã, Canoas, Erechim e Carazinho receberão as ações do projeto “Circulação – De La Mancha: O Cavaleiro Trapalhão” com espetáculo que subverte a tradicional estética da contação de histórias e se vale de teatro, dança, música e flamenco para discutir temas como a amizade e a lealdade, as relações de poder e a imaginação através da leitura. Com um afiado elenco composto por Guilherme Ferrêra e Henrique Gonçalves, que vivem, respectivamente, Dom Quixote e Sancho Pança, o espetáculo atravessa todas as gerações de espectadores, sugerindo muitas camadas de interpretação e convidando adultos e crianças para celebrarem de um mesmo espetáculo através de uma abordagem de linguagem não-violenta com o tempero principal do humor e da diversão.

“O Fundo Municipal de Cultura de Gravataí é extremamente importante para solidificação de artistas do município. Na criação de novos projetos, na manutenção das atividades e pesquisa de grupos/artistas e na credibilidade, pois ao ser contemplado o projeto, diversos resíduos culturais permanentes ficam para a sociedade. Foi através desse edital que tive a oportunidade de criar esse espetáculo, receber inúmeras premiações pelo país e agora ser contemplado num dos principais editais de circulação no estado do RS o – Fac Movimento”, contou Guilherme Ferrêra, ator, diretor artístico e produtor geral da Rococó.

O espetáculo

Enriquecido por uma longa pesquisa na cultura Flamenca, estão presentes no espetáculo, os palmeios, os “pitos”, a percussão corporal e os sapateados que são valorizados pela Trilha sonora original de Pedro Borghetti que nos leva até a Espanha em seus ritmos como as tradicionais “sevilhanas” e “bulerias”.

A região de La Mancha e os povoados de Albacate, Cuenca, Ciudad Real, Toboso e Toledo são recriados pela cenografia, iluminação e adereços do artista Roger Santos, em seus tons de sépia em referência a uma terra seca e poeirenta do centro da Espanha.

Ao longo dos 45 minutos de espetáculo, com indicação etária livre, todas essas questões se apresentam emolduradas por elementos de linguagem visual de rara elegância  em um projeto que se dedica a dialogar com o público infantil-juvenil e adulto, introduzindo uma estética um pouco mais elaborada e reforçando o convite a consumir teatro e leitura ao longo da vida.

Completando o projeto serão realizadas em cada uma das cidades Bate-papo com os espectadores após cada uma das sessões e Oficinas culturais: Contação de Histórias, Flamenco para Iniciantes e Ritmo/Percussão corporal.


Sobre a Rococó

Criada em 2015 pelos artistas Guilherme Ferrêra e Henrique Gonçalves, a produtora Rococó Produções Artísticas e Culturais completa 5 anos de atividades em 2020, e vem se destacando pela concepção e produção de espetáculos que mesclam diferentes linguagens artísticas, estabelecendo uma importante pesquisa em dramaturgia e linguagem cênica para o público infanto-juvenil. As montagens do grupo têm como marca fundamental a fusão de diferentes artes como princípio narrativo, promovendo nos palcos o encontro do teatro com a dança, a música e a contação de histórias.

Além de Guilherme e Henrique, que assinam a direção artística e produção geral da Rococó, o grupo conta com presenças importantes de Roger Santos na iluminação, e Alessandra Bier na Assistência de Produção e elenco que compõem o quadro fixo de artistas do Grupo.

Publicidade
Publicidade

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.