Cruzeiro faz fiasco e é eliminado do Acesso - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Claiton não é mais treinador do Cruzeiro - Fotos Roque Lopes/oreporter.net

Cruzeiro faz fiasco e é eliminado do Acesso

O Inter/SM veio a Cachoeirinha com um time misto sem nenhuma chance de classificação e fez 2 a 0 no Cruzeiro em uma partida que teve até denúncia de racismo nas arquibancadas

A tarde deste sábado (13) é para ser apagada da história do Cruzeiro. O time precisava vencer e torcer por um resultado paralelo para se classificar no Grupo A para a fase do mata-mata da Divisão de Acesso. E deu tudo errado. Já eliminado da competição, o Inter/SM veio a Cachoeirinha com um time misto e ao natural, explorando os contra-ataques, aplicou 2 a 0 no Cruzeiro, a primeira derrota na Arena.

Um resultado paralelo se confirmou e daria a vaga ao Cruzeiro não fosse uma atuação apática dos comandados de Claiton dos Santos. Bagé e São Gabriel ficaram no 1 a 1. O Cruzeiro, se tivesse vencido, ficaria com a vaga do Bagé por ter melhor saldo de gols.

Com uma marcação adiantada, Claiton tentou empurrar o Inter/SM para sua área, mas dava muitos espaços para os contra-ataques. O centroavante Hadriel deitou e rolou a tarde toda sobre a defesa do Estrelado, deu uma assistência e marcou um gol. Foi o grande nome do jogo.

O Inter/SM abriu o placar aos 35 do primeiro tempo. Hadriel fez grande jogada pela esquerda, passou pela marcação e serviu Miraudé que só teve o trabalho de mandar para o fundo da rede de Prezzi. O Cruzeiro não conseguiu criar nada na primeira etapa.

Na volta para o segundo tempo, Claiton tirou Rafinha e colocou o meia Thiago Corrêa para tentar fazer o meio campo criar algo. E não deu certo. Logo em seguida saiu o lateral Superti e entrou o atacante Igor e as 19 minutos Sodré foi para o ataque na vaga de Hyantony. As mudanças não surtiram nenhum efeito e aos 26 o zagueiro Fernando Pinto levou o segundo amarelo por falta em Hadriel e foi expulso.

O Cruzeiro, que já estava completamente perdido em campo, tentou uma pressão sem a menor inspiração. E uma das melhores chances, Elton estava na frente do goleiro João Paulo do Inter/SM. “Parecia que estava em uma praça”, disse o repórter de campo de uma rádio para descrever o lance da cabeçada que mais pareceu uma atrasada para o goleiro.

No final da partida, Claiton, que foi muito criticado por torcedores e até pelo diretor de futebol, Dirceu de Castro, fez uma avaliação rápida sobre a partida. Ouça abaixo.

Claiton fala sobre a eliminação do Cruzeiro

O diretor de futebol, Dirceu de Castro, anunciou no final da partida a demissão da comissão técnica e o encerramento dos contratos dos jogadores que chegaram para a Divisão de Acesso.

Diretor do Cruzeiro classifica trabalho como medíocre

Clique aqui e ouça a entrevista concedida por Dirceu de Castro logo após o encerramento da partida na Arena

Denúncia de racismo

Não bastasse a atuação apática e desastrosa do Cruzeiro, nas arquibancadas aconteceu uma denúncia de racismo. A paulista Lidiane Aparecida Cardoso estava no reservado destinado aos torcedores do Inter/SM, ao lado das cabines de rádio. Por ali circulava um dos torcedores mais antigos do Estrelado e ele a chamou de macaca.

Gerson, em nome do Cruzeiro, pediu desculpas para a torcedora

A Brigada Militar chegou para ver o que estava acontecendo e Lidiane, que é irmã atacante Hadriel, preferiu não representar contra o agressor.

No final do jogo ela recebeu o carinho de Claiton e um pedido de desculpas do Cruzeiro feito pelo vice-presidente Gerson Finkler. “Eu preferi não levar adiante, mas não podemos admitir que isso aconteça dentro de um estádio de futebol”, disse Lidiane.

Na beira do gramado, dirigentes conversavam lamentando o episódio e decidiram proibir o torcedor de entrar na Arena para acompanhar as partidas do Cruzeiro.

Torcida da exemplo

A torcida do Cruzeiro deu exemplo e tentou empurrar o time. Veja:

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.