Bloco de Oposição quer que MP investigue o transporte coletivo - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Velho, Almansa e Sanches - Foto: Divulgação

Bloco de Oposição quer que MP investigue o transporte coletivo

Representantes do Bloco de Oposição Municipal pediram cópias do contrato de concessão e das planilhas de custos da Transbus

Cachoeirinha – O Bloco de Oposição Municipal (BOM), formado por partidos que não tem acento na Câmara de Vereadores, quer investigar a situação do transporte coletivo municipal. Nesta terça-feira (11), os presidentes do PT, David Almansa, da Rede, Rafael Velho, e do PC do B, Serafim Sanches, protocolaram um pedido na Prefeitura.

Com base na Lei de Acesso à Informação, eles solicitaram cópias do contrato de concessão do transporte coletivo municipal e das planilhas apresentadas pela Transbus na solicitação de reajuste da tarifa.

“Suspeitamos que exista uma série de irregularidades. Pedimos os documentos para embasar uma representação no Ministério Público para que haja uma investigação”, explica Almansa.

Ele argumenta que no caso das passagens, houve um reajuste acumulado de quase 20% desde 2018. Apesar de os aumentos serem aprovados pelo Conselho de Transportes, que tem representantes da comunidade, o presidente do PT sustenta que o órgão não tem cumprido seu papel.

“Na nossa opinião, o Conselho não tem cumprido o seu papel de agente da transparência e participação. Não é segredo para ninguém que todos os conselhos municipais são aparelhados, a exceção do Conselho de Saúde, que conseguiu agregar quadros capazes de manter uma boa distância em relação ao governo. Nos outros, boa parte dos integrantes da sociedade civil tem cargos no governo”, afirma.

A troca do CNPJ da empresa é outro ponto a ser analisado pelo BOM. Para Almansa, a saída da Stadtbus para o ingresso da Transbus foi realizada de uma forma que pode ensejar a necessidade de ter havido uma licitação.

A Transbus tem como sócia a Stadtbus. A alteração de CNPJ foi autorizada pela Prefeitura após uma consulta feita pela Stadtbus alegando a necessidade de fazer ajustes administrativos no grupo de transporte coletivo que tem diversas concessões no Brasil.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.