Vereador sugere projeto para reajuste do funcionalismo - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Fernando Medeiros - Foto: Reprodução

Vereador sugere projeto para reajuste do funcionalismo

Fernando Medeiros apresentou projeto indicativo para que Prefeitura e Câmara recomponham perdas salariais

Cachoerinha – O vereador Fernando Medeiros (PDT) apresentou na Câmara de Vereadores um projeto de lei indicativo, ou seja, de sugestão, para que o Executivo elabore um projeto de lei estabelecendo um reajuste para os servidores públicos válido para 2022. A proposta contemplaria os servidores da Prefeitura e também da Câmara. Conforme o parlamentar, os funcionários vinculados ao Executivo acumulam uma defasagem salarial de 17,03% e os do Legislativo, 24,24%.

“A inflação atual tem corroído o poder de compra dos servidores públicos. Somente esse ano o IPCA fechará em mais de 10%. O presente projeto visa a valorização do servidor público, pois é ele que está diretamente na ponta dos serviços públicos. É o professor que educa nossos filhos. É o guarda municipal que arrisca sua vida para proteger as nossas. É o médico que nos atende num posto de saúde enfim, é aquele que está diretamente em contato com a nossa população no dia a dia e merece todo o nosso respeito. Sabemos que as vezes não há condições estruturais para esse efetivo reconhecimento, mas o contexto atual nos permite dialogar bastante em relação ao presente projeto”, argumenta o parlamentar.

Publicidade

A Prefeitura está impedida de conceder reajuste salarial desde o ano passado quando recebeu recursos da União para suprir queda na arrecadação em decorrência da pandemia. Antes disso, a situação financeira da Prefeitura também não permitia a correção dos salários.

O prefeito Maurício Medeiros pretende começar a discutir uma recomposição salarial em janeiro do ano que vem. Ele já disse à reportagem que os servidores precisam de um reajuste. O percentual, contudo, ainda vai levar em conta a capacidade financeira da Prefeitura, uma vez que ela não pode sair do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece o limite de comprometimento da receita corrente líquida com a folha de pagamento.

Publicidade

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.