Stédile revela se concorre ou se apoia ou não a reeleição de Miki - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
"Está havendo uma pressão e me mostram pesquisas", revela Stédile - Foto: Arquivo

Stédile revela se concorre ou se apoia ou não a reeleição de Miki

Ex-prefeito de Cachoeirinha, ex-deputado federal e atual secretário estadual de Obras e Habitação do RS, Stédile explica como vai se posicionar em relação ao próximo pleito

Cachoeirinha – Toda a história do grupo que comanda a política de Cachoeirinha há quase duas décadas iniciou com José Stédile. A vereadora Jacqueline Ritter chegou a dizer em uma das últimas Sessões da Câmara que boa parte dos vereadores que ali estavam eram “cria do Stédile”, incluindo o ex-prefeito Vicente Pires e o atual, Miki Breier.

Prefeito e deputado federal por dois mandatos, o atual presidente do partido no Estado ocupa uma das principais secretarias do Governo Eduardo Leite, a Obras e Habitação. Na última sexta-feira (8), em seu gabinete no terceiro andar do Centro Administrativo Fernando Ferrari, onde busca soluções para o grave problema habitacional do Estado, um dos principais projetos que está à frente, Stédile recebeu o oreporter.net e concedeu a seguinte entrevista sobre as eleições municipais do ano que vem:

O senhor pretende colocar o seu nome à disposição do partido para concorrer a prefeito?

A minha intenção é a de não concorrer. Está havendo uma pressão e me mostram pesquisas. Em algumas estou na frente e em outras bem na frente. Eu atribuo isso ao trabalho que realizamos quando fomos prefeito. Nós, por exemplo, pavimentamos 250 ruas e resolvemos graves problemas de saneamento. Isso marcou. As pessoas me enxergam pouco na coisa política, mas eu ando muito. As pessoas me enxergam muito nos bairros de Cachoeirinha. Eu conheço muita gente e tudo o que fizemos foi junto com a população, ouvindo e conversando. Eu criei uma relação de amizade com muitas pessoas.

O senhor, então, vai apoiar a reeleição do prefeito Miki Breier?

A nossa relação esteve estremecida em função das últimas eleições. Eu sempre apoiei ele, em todas as eleições para deputado estadual e prefeito. Na última eleição para deputado federal ele não me apoiou e escolheu outro candidato. Eu nem sei se ele se interessa muito pelo meu apoio, mas o certo é que eu vou apoiar o PSB.

O prefeito Miki Breier já teria sido sondado para ingressar no PSD de Danrlei, lideranças estaduais do PTB também conversaram com ele e recentemente o vice-prefeito Maurício Medeiros disse para o site Seguinte de Gravataí que as portas do MDB estão abertas. Preocupa o PSB a possibilidade de Miki deixar o partido?

Eu nunca trocaria o partido que eu participo apenas por interesse eleitoral. Eu sempre fui uma pessoa que acreditei nas posições do PSB. Eu desconfio disso de ele querer trocar de partido para querer uma vantagem eleitoral. Acho que fica ruim para o Miki ser candidato pelo MDB tendo o vice do mesmo partido porque exige mais esforço para compor uma aliança com outros partidos. Com relação ao PTB em nível municipal (hoje é oposição), não sei se seria algo possível.

Pela primeira vez na história de Cachoeirinha um prefeito tinha todos os vereadores na base de apoio e isto indicava que seria mais fácil governar. A realidade, contudo, se mostrou muito diferente e até tentaram abrir um processo de cassação do mandato dele. Houve um racha na base de apoio e inclusive alguns vereadores do PSB passaram a ser oposição. O que o senhor acha que provocou essa crise?

Eu devo te dizer que eu não me envolvi no Governo Vicente e não me envolvi no Governo Miki por respeitar a forma de governar de cada um. Tudo pode ter ocorrido por uma questão de método de governar. Não estou discordando do método de ninguém. Cada um escolhe o seu, mas eu acho que faltou conversar mais com a base. Esse distanciamento em relação aos vereadores teve seu preço.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.