Sob pressão, Câmara pode votar CPI nesta terça - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Cordeiro lidera oposição no bloqueio da pauta da Câmara - Foto: Arquivo/oreporter.net

Sob pressão, Câmara pode votar CPI nesta terça

Mais de 20 projetos da Prefeitura estão parados e cobranças por possíveis prejuízos à população vêm aumentando

Cachoeirinha – Depois de muita pressão nos últimos dias, por não ter votado nenhum projeto do Executivo este ano, impedindo investimentos da Prefeitura na saúde e saneamento, entre outras áreas, a oposição liderada pelo presidente do Legislativo, Edison Cordeiro, poderá concluir na noite desta terça-feira a leitura do relatório da CPI dos controladores de velocidade.

Publicidade

Cordeiro não retornou contato feito pela reportagem, mas a assessoria de imprensa da Câmara informou que poderá haver tempo suficiente para a discussão do relatório e votação. A discussão poderá ser demorada, dependendo da disposição dos oposicionistas, já que cada vereador tem 10 minutos para falar. Já o relator, Rubens Otávio, tem 20 minutos.

Nos bastidores, um boato sobre um possível rompimento do PV com o governo dava conta de que a vontade em agilizar a apreciação estaria relacionada a possibilidade de o relatório ser aprovado. Oposicionistas teriam ficado animados, mas o vereador Manoel D`Ávila, que ingressou no partido na janela partidária, adiantou à reportagem que está ao lado do Governo.

“Estou com o prefeito agora e até o final. E vamos estar juntos na campanha eleitoral”, avisou. “Aconteceu um desagrado de um pré-candidato [a vereador], mas isso é outro assunto. Eu conversei com o prefeito e está tudo resolvido com relação a meu papel”, completou.

Publicidade

Se Manoel mudasse o voto, a votação do relatório terminaria empatada e o presidente do Legislativo desempataria a favor do bloco oposicionista. Caso não haja nenhuma mudança no posicionamento dos vereadores, o resultado da votação será igual ao do relatório da CPI da limpeza urbana: 9 a 7 pelo arquivamento.

Se alguma mudança acontecer e o relatório for aprovado, estará aberto o caminho para a instalação de um novo processo de cassação do prefeito. Na prática, não haveria como ele ser cassado, pois os oposicionistas precisariam de 2/3 dos votos. O movimento serviria apenas, conforme analistas políticos, para desgastar a imagem do prefeito durante a campanha eleitoral.

O relatório da CPI aponta supostas irregularidades nos controladores de velocidade, como falta dos estudos instalação dos equipamentos. Ele sugere que multas aplicadas nos últimos cinco anos sejam devolvidas e os pontos retirados das habilitações de motoristas considerados infratores. Mesmo com a provável reprovação do relatório, oposicionistas entregarão cópia da documentação para o Ministério Público, como fizeram no caso da CPI da limpeza urbana.

LEIA MAIS

Comerciantes da Lídio fazem apelo aos vereadores

“Ele está brincando de presidir a Câmara”

Oposição bloqueia quase R$ 14 milhões com CPIs, prejudicando a população

Prefeitura pode ir à Justiça para Câmara votar projetos da saúde

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.