Simca anuncia greve e tenta barrar aulas presenciais na rede municipal na Justiça - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Escolas foram sanitizadas, conforme secretária - Foto: Divulgação/PMC

Simca anuncia greve e tenta barrar aulas presenciais na rede municipal na Justiça

Sindicato comunicou que profissionais de educação entrariam em greve sanitária nesta segunda-feira (3)

Cachoeirinha – O Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha (Simca) decidiu, em assembleia geral na última terça-feira (27), iniciar nesta segunda-feira (3) uma greve sanitária envolvendo os profissionais da educação. A entidade também está pleiteando na Justiça a suspensão das aulas na forma presencial. Entre os motivos para a greve está a falta de EPIs, profissionais da área de limpeza sem treinamento e falta de orientação aos pais, entre outros.

Publicidade

Em sua página no Facebook, o Simca destaca que “a Secretaria de Educação sequer forneceu máscaras e EPI’s adequados para trabalhadores e alunos; as trabalhadoras da limpeza, sem contrato formalizado e carteira assinada, foram chamadas às pressas e jogadas nas escolas sem formação alguma sobre sanitização e não houve tempo hábil sequer de orientar adequadamente os pais sobre o retorno. É aquele tipo de desorganização que o corona vírus encontra o ambiente ideal para se proliferar. E o pior, quando se prolifera é um salve-se quem puder, pois a ausência de protocolos expressos por parte da gestão impede uma ação rápida para frear a cadeia de transmissão dos vírus nas escolas”.

A juíza Lúcia Lobato, em despacho na última quinta-feira (29), deu um prazo de dois dias para a Secretaria de Educação prestar informações sobre a contratação de empresa para o serviço de limpeza nas escolas, fornecimento de EPIs e atendimento dos protocolos estipulados em fevereiro. O Simca denuncia que em fevereiro, no breve retorno das atividades até que houvesse a suspensão, aconteceu um surto na escola de educação infantil menino Jesus, que “contaminou diversas trabalhadoras e quase custou a vida de uma colega”.

Na última sexta-feira (30), a secretária de Educação, Rosinha Lippert, em livre com o prefeito em exercício Maurício Medeiros, informou que todas as escolas foram sanitizadas para permitir as atividades presenciais para a educação infantil e dois primeiros anos do ensino fundamental – para os demais anos ainda não há data para o reinício das atividades presenciais.

Publicidade

As aulas presenciais foram retomadas na última quinta-feira e, conforme Rosinha, na sexta-feira foi realizada uma pesquisa e apurado que na educação infantil havia 368 estudantes em salas de aulas e nas séries iniciais do fundamental, 871. A secretária destacou que foram disponibilizados EPIs para todas as escolas e caso houvesse falta, o material poderia ser solicitado pois há em estoque.

Rosinha salientou que o Centro de Operações de Emergência em Saúde Municipal para Educação (COE) avaliou as medidas adotadas e criou no sistema da educação um canal para informação rápida de qualquer caso de sintomas de Covid para que medidas urgentes possam ser tomadas. As serventes da área de limpeza já estão trabalhando e as cozinheiras serão completadas durante esta semana. Na área externa das escolas, conforme a secretária, a limpeza está em andamento.

A secretária tem reforçado que os pais não são obrigados a enviar seus filhos para as escolas caso entendam que o momento não é adequado. As aulas remotas continuam e quem não tem acesso à internet pode ir até a escola fazer a retirada do material impresso. A orientação continua sendo de que pais podem fazer o envio dos filhos e na eventual falta de algum professor será providenciada pela direção uma forma de atendimento dos alunos.

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.