Secretário pede calma e explica os testes do coronavírus - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Informações para a imprensa são escassas - Foto: Divulgação

Secretário pede calma e explica os testes do coronavírus

Dyego Matielo argumenta que não há testes suficientes no Brasil para testar todos que procuram unidades de saúde

Cachoeirinha – O secretário da Saúde, Dyego Matielo, pediu calma à população e reforçou nesta sexta-feira (27) que “todos devem permanecer em casa”, saindo apenas para fazer algo que seja inadiável. Cachoeirinha não tem nenhum caso confirmado ainda e deverá ter. “É por isso que estamos nos preparando com o hospital de campanha no Ginásio da Fátima, onde teremos seis leitos de UTI, além de outros dois na UPA”, afirma. Matielo lamenta que muitas pessoas acabam espalhando o pânico nas redes sociais.

Ele não sabia do caso de uma mulher que gravou um vídeo, publicado no Facebook, reclamando do atendimento recebido na UPA e relatando que é fumante e apresentava tosse e dificuldade para respirar, mas sem febre. Ela disse que ligou para os telefones fixos divulgados pela Prefeitura para relatar os sintomas e recebeu a orientação para procurar a UPA. Ela não sabia o endereço e nem a atendente, que precisou perguntar para um colega.

A mulher ainda relatou que também enviou mensagem de texto para o whatsapp e não recebeu nenhum retorno. Na UPA ela encontrou um médico recém contratado no plantão e ele diagnosticou ansiedade, ministrando meio comprimido de um calmante. A responsável por aplicar a medicação acabou dando um inteiro e ela precisou ficar em uma cadeira de rodas até passar o efeito da medicação para ir para casa. A aposentada ainda reclamou que não foi realizado o teste do novo coronavírus.

“Eu não sei desse caso. As pessoas precisam ter calma. Há umas postagens em redes sociais que criam pânico e parece que não estamos trabalhando como loucos para montar toda a estrutura que vamos precisar. Para começar, suspeita de coronavírus requer que a pessoas tenha febre persistente acima dos 38 graus por três dias. Nós recebemos em torno de duas mil mensagens diárias no whatsapp e casos como esse que tu está me relatando não são respondidos porque a pessoa não tem coronavírus. Ainda estão usando o canal criado para fazer perguntas sobre outros assuntos e elas não são respondidas. Só respondemos os casos suspeitos com base na descrição dos sintomas”, explica.

Matielo salienta que não existe testes para aplicar em todos os casos que apresentem alguns sintomas gripais. “Não existe um grande volume no Brasil e não seria em Cachoeirinha que teríamos. As pessoas precisam compreender que seguimos um protocolo do Ministério da Saúde. Quando identificamos um possível caso de contágio, a equipe da vigilância epidemiológica vai até a casa da pessoa e faz a coleta para o exame, que é feito no Laboratório Central do Estado. Outra questão importante para destacar são comentários em redes sociais que estamos escondendo casos em Cachoeirinha. Não existe nenhuma possibilidade de isso acontecer, porque os testes são feitos pelo Estado e os resultados vão para o Informe Epidemiológico. Então, é preciso ter calma, manter os hábitos de higiene e sair de casa só sendo para fazer algo indispensável. Nós vamos ter casos sim e por isso estamos trabalhando para minimizar as consequências”, reforça.

Mudanças na UPA e antigo 24 Horas

Na UPA e no antigo posto 24 horas, na Fátima, passou a ser feita uma triagem dos pacientes. Os pacientes passam por ela e os que apresentam sintomas gripais são separados dos demais para evitar contágio. Quem tiver febre, além de tosse e falta de ar, deve, obrigatoriamente, procurar contato com a equipe de vigilância epidemiológica pelo whatsapp ou aplicativo. Uma equipe irá até a casa da pessoa. Ir diretamente em uma unidade de saúde não é recomendado porque se a pessoa estiver com o vírus poderá passá-lo para as demais e se não tiver contraído ainda poderá voltar para casa com ele caso haja alguém contaminado esteja aguardando atendimento.

Somente dois canais de contato

Com a desativação dos telefones fixos, os moradores de Cachoeirinha tem duas opções para contato com a secretaria da Saúde. Pelo whatsapp, somente sintomas devem ser relatados. Mensagens sobre outros assuntos ou com sintomas não relacionados ao coronavírus não são respondidas. O número é 9.8044.7968.

Clique aqui para baixar o app ou fazer seu cadastro

A outra opção é um aplicativo que deve ser baixado nas lojas Google Play Store, para dispositivos android, e na App Store, para os que rodam iOS. Há uma página com os links que pode ser acessada clicando aqui. O Google ainda está avaliando o aplicativo e não liberou. Já na loja da Apple ele está liberado. No link disponibilizado pela prefeitura há ainda uma opção para o cidadão se cadastrar em precisar baixar nada. A reportagem fez o teste e não encontrou nenhuma dificuldade.

O cadastro é muito fácil e rápido bastando informar o telefone, nome, sexo, data de nascimento, endereço e se estuda, a instituição. Existe uma lista de doenças que agravam o estado de saúde dos contagiados e se a pessoa é portadora de alguma basta marcar. Depois, só precisa informar o dia que teve um sintoma e de quantos graus foi a febre. Este é o item principal na triagem. Segundo Matielo, um médico é o responsável por monitorar os cadastros no aplicativo, que já teve cerca de 2,5 mil downloads.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.