Saúde da Mulher teve sua primeira edição em Gravataí - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Debate a saúde da mulher - Foto: Divulgação/PMG

Saúde da Mulher teve sua primeira edição em Gravataí

O evento ocorreu na última quarta-feira (13), no auditório da Ulbra

Gravataí – A Comissão das Mulheres do Conselho Municipal de Saúde (CMS) em parceria com a Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria da Saúde (SMS) e apoio da Ulbra, promoveu o 1º Encontro de Saúde das Mulheres. A atividade aconteceu no último dia 13 de novembro, na Ulbra.

O Secretário Municipal da Saúde Jean Torman, o presidente do CMS Marcelo Nascimento, representando o Hospital Dom João Becker Fabiana Dresller e a representante da Ulbra, professora Sandra Borges participaram da atividade.

O encontro também teve seu momento de ludicidade para trazer questões graves e tristes. “A apresentação artística feita pela atriz Emilene Elusa da Silva foi um emocionante espetáculo com um misto de dança e poesia, que trouxe para o palco as dores de uma mulher que sofre violência”, destacou Eliane do Amaral da Comissão organizadora. Segundo ela, a intervenção artística levou muitas pessoas às lágrimas. A primeira palestrante foi a promotora legal de Passo Fundo, Valeria Lorenzato, que dissertou sobre as violências sofridas pelas mulheres no âmbito de trabalho e também doméstico.

Para Sibele Portiho, a importância dessas duas mulheres estarem no palco, as inserções foram muito esclarecedoras. “A dinâmica com os participantes proposta por Valeria, por exemplo, promoveu uma reflexão sobre o assunto, com dados estatísticos sobre a violência contra a mulher na cidade de Gravataí e o quanto esse assunto ainda é complexo.

O palestrante Carlos Antônio da Silva falou com brilhantismo sobre os “3H” fundamentais da Saúde do Homem: História Clínica, Hábitos e Humano (Genética). Ele instigou o público trazendo o olhar para a saúde do homem. Carlos também falou da falta de estrutura que homem encontra para cuidar da saúde, pois a partir da adolescência não há um médico especialista para cuidar, acolher, tratar o Homem, e, como ainda o machismo é outro desafio a ser enfrentado.

Os participantes aplaudiram a realização do encontro, mas disseram que o tempo foi pouco para um debate tão amplo. A presidente do Conselho da Pessoa Idosa, Marlene Espíndola disse que foi muito bom, mas que sempre podemos aprimorar. “Fica a ideia então para uma segunda edição desse Encontro não só de mulheres mas de todos”, destacou.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.