Saiba os detalhes do parque tecnológico da Uergs em Cachoeirinha - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
A estrutura em Cachoeirinha - Foto: Arquivo

Saiba os detalhes do parque tecnológico da Uergs em Cachoeirinha

Estrutura da Cientec na cidade agora passa a ser da Uergs e a transformação em parque tecnológico foi anunciada nesta sexta-feira

Publicidade

A Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) completa o seu 20º aniversário neste sábado, 10 de julho, celebrando uma importante conquista: a transferência definitiva do seu primeiro prédio próprio para a reitoria e administração, em Porto Alegre. A transferência do imóvel da Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec) foi oficializada nesta sexta-feira (9) pelo governador Eduardo Leite.

A unidade do Cientec em Cachoeirinha, que também foi assumida pela universidade, passará a ser um parque tecnológico. Basicamente, a Uergs assume a estrutura existente mas dando um viés de pesquisa e ensino alinhados aos projetos estratégicos e às metas previstas no Mapa Estratégico da gestão estadual, como o de qualificar o aprendizado para a nova economia.

Publicidade

Como contrapartida pelos imóveis, a Uergs elaborou o Projeto Estratégico Uergs 20+, que reúne propostas de professores com o objetivo de ampliar a oferta de serviços pela universidade à sociedade gaúcha. De acordo com o reitor, Leonardo Beroldt, o Uergs 20+ reafirma o posicionamento da instituição como instrumento do Estado para a execução de políticas públicas de inovação, tendo como ponto de partida a destinação do patrimônio da Cientec à universidade.

A implantação do parque tecnológico será gradativa. A prioridade será consolidação do campus em Porto Alegre e, posteriormente, iniciará a estruturação em Cachoeirinha. Um cronograma ainda não foi apresentado.

Publicidade

Saiba mais sobre o Uergs 20+

O Uergs 20+ é composto por 70 projetos que pretendem ampliar e potencializar a oferta de ações de Ensino, Pesquisa e Extensão conectadas com os sistemas produtivos presentes no estado. Os projetos estão agrupados em três áreas estratégicas identificadas como portadoras de futuro: energia e mobilidade; recursos naturais e sistemas alimentares; espaços digitais e sistemas produtivos. Com a iniciativa, a Uergs busca promover, de forma sustentável, o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado, em sintonia com a política da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict).

O detalhamento do que está previsto para Cachoeirinha

Eixo Infraestrutura de Laboratórios para Pesquisa Avançada

Pesquisa em Compatibilidade Eletromagnética – Com o aumento dos equipamentos eletroeletrônicos que irradiam campos eletromagnéticos para a conectividade, as interferências eletro-magnéticas passam a ser maiores entre aparelhos e equipamentos, afetando seu desempenho. Assim, há necessidade de saber o quanto esta interferência é significativa, prejudicial ou tolerável. Público-alvo: Empresas produtoras de equipamentos com conectividade; empresas atuantes na área de telefonia móvel. Estrutura: Laboratório de Interferência Magnética – Cachoeirinha. Atividades iniciais: Manutenção dos equipamentos e certificação de uso. Oferta de valor: Resultados científicos que embasam as propostas de equipamentos que oferecem conectividade.

Pesquisa em Novos Materiais Isolantes – A mobilidade de equipamentos é uma funcionalidade que agrega valor, pois permite seu uso em diversos locais. Porém, características intrínsecas desses equipamentos exigem acondicionamento em gabinetes que combinem resistência elétrica com usabilidade. Pesquisas devem ser realizadas para identificar materiais que sejam de fácil usabilidade e que mantenham características elétricas condizentes com as necessidades de determinados equipamentos. Público-alvo: Empresas fabricantes de equipamentos eletrônicos móveis, como equipamentos para hospitais, analisadores veiculares, entre outros. Estrutura: Laboratório de Baixa Tensão – Cachoeirinha; Laboratório de Alta Tensão – Cachoeirinha. Atividades iniciais: Manutenção dos equipamentos e certificação de uso. Oferta de valor: Resultados científicos que embasam as propostas de equipamentos que ofertam funcionalidades, garantindo segurança elétrica.

Eixo Infraestrutura de Laboratórios para Pesquisa Avançada

Serviço de Análise de Isolamento ElétricoJustificativa: A mobilidade de equipamentos é uma funcionalidade que agrega valor, pois permite seu uso em diversos locais. Porém, características intrínsecas desses equipamentos exigem acondicionamento em gabinetes que combinem resistência elétrica com usabilidade. Caracterizar esses equipamentos segundo especificações das normas é importante para ofertar ao cliente a segurança e confiabilidade no que lhe está sendo oferecido. Público-alvo: Empresas fabricantes de equipamentos eletrônicos móveis, como equipamentos para hospitais, analisadores veiculares, entre outros. Estrutura: Laboratório de Baixa Tensão – Cachoeirinha; Laboratório de Alta Tensão – Cachoeirinha; e Recursos Humanos qualificados. Atividades iniciais: Manutenção dos equipamentos; Acreditação do laboratório junto ao Inmetro; acreditação dos técnicos e gerente do laboratório junto ao Inmetro. Oferta de valor: Serviço de análise de interferência eletromagnética, segundo normas vigentes, em laboratório acreditado.

Serviço de Calibração de Instrumentos ElétricosJustificativa: Os instrumentos de medição elétrica informam ao usuário os valores das grandezas elétricas medidas. Porém, para que essa informação tenha valor, deve ser verdadeira, dentro de uma faixa de incerteza. Para isso, torna-se necessário calibrar o instrumento em adequada frequência de tempo, em um laboratório onde se possa acreditar que os métodos e normas estão sendo aplicados na calibração. Público-alvo: Empresas fabricantes de instrumentos, empresas de inspeção que necessitam de instrumentos elétricos calibrados. Estrutura: Laboratório de calibração de instrumentos – Cachoeirinha; Recursos Humanos qualificados. Atividades iniciais: Manutenção dos equipamentos; Acreditação do laboratório junto ao Inmetro; acreditação dos técnicos e gerente do laboratório junto ao Inmetro. Oferta de valor: Serviço de calibração de instrumentos, segundo normas vigentes, em laboratório acreditado.

Eixo Parque Tecnológico em Parceria com outras IES e Iniciativa Privada

Criação de um Parque de Inovação e Tecnologia a partir da destinação da infraestrutura na cidade de Cachoeirinha. Este parque, em parceria com a SICT e outros órgãos do Estado, pode oferecer um espaço de articulação e fortalecimento de iniciativas de desenvolvimento tecnológico, como Incubadora e Aceleradora. Por meio desses espaços de criação, pretende-se dar visibilidade e proporcionar atratividade à instalação de empreendimentos de base tecnológica, sejam grandes empresas, médias, pequenas ou em fase de incubação.

A partir da destinação da infraestrutura em Cachoeirinha, o projeto de construção de uma política pública de inovação prevê, naquela área, a criação de um Parque Tecnológico. Com isso, pretende-se criar um ambiente favorável à inovação, que propicie a simbiose entre academia e empreendimentos, além de proporcionar visibilidade e reconhecimento do espaço como um Centro de Excelência. O Parque Tecnológico tem base na relação entre três atores: academia, Estado e iniciativa privada.

Cabe à Uergs a administração do Parque, gerindo seu custeio. Pretende-se oferecer um espaço de articulação e fortalecimento de iniciativas de desenvolvimento tecnológico, como Incubadora e Aceleradora. Por meio desses espaços de criação, compartilhamento de laboratórios (laboratórios multiusuários) e conhecimentos, pretende-se dar visibilidade e atrair a instalação de empreendimentos com perfil tecnológico.

Empreendimentos

Os empreendimentos de base tecnológica são o que permitem a simbiose entre empresas e academia, o que é o grande propósito de um Parque Tecnológico. Por meio dessa interação o conhecimento tecnológico e a inovação fluem entre empresa e academia, ocasionando o ciclo virtuoso. Os empreendimentos preveem a instalação de grandes, médias e pequenas empresas.

Grandes Empresas – o Parque deve ser propício a que empresas de grande porte de base tecnológica se instalem e realizem suas atividades de pesquisa, que podem ficar restritas ao ambiente da própria empresa ou dentro de um ambiente sinérgico, em parceria com a academia e/ou instituições parceiras. De toda forma, o Parque deve proporcionar um ambiente de permanente networking, com pesquisadores de outras empresas e da academia. Às empresas de grande porte, a atuação do ator Governo se faz mais relevante, atuando na sua prospecção.

Pequenas e Médias Empresas – para as empresas de porte médio e pequenas de base tecnológica, o Parque visa proporcionar um ambiente favorável para seu desenvolvimento e competitividade. As vantagens para as empresas médias e pequenas são similares às de grande porte, como a possibilidade de parcerias com empresas e instituições de pesquisa, e a vivência em ambiente sinérgico favorável à realização de projetos. Além disso, há possibilidade de uso compartilhado de laboratórios, de participação em programas de acompanhamento para o desenvolvimento de empresas, de participação em eventos de capacitação técnica e gerencial, e de acesso a investidores e às agências de fomento

Incubadora – complementando o pilar de empreendimentos, o parque pretende ter estrutura voltada à incubação de empresas e negócios de base tecnológica. As startups, que já tem um formato pronto para execução, já iriam direto para a incubação. Os projetos ainda restritos à ideia iriam para uma pré-incubação, por meio de um sistema de coworking. Após adquirir um formato mais definido se torna uma startup e passam à incubação. Seja qual for o estágio, o pré requisito é a base tecnológica. A ideia deve ter na sua essência a busca por aperfeiçoamento ou desenvolvimento tecnológico de produto, serviço ou processo. O propósito do Parque quanto às incubadoras é o hub de inovação, onde a academia e demais atores atuam ativamente na promoção e desenvolvimento de empreendimentos de base tecnológica.

Incubadora Tecnológica

Incubadora Tecnológica e o fortalecimento do Polo de Inovação Tecnológica da Região Metropolitana – A Uergs passará a ser a instituição coordenadora do Polo, administrando os recursos oriundos desse Programa, que tem mais de trinta anos, aproveitando também o projeto já existente de criação de um Parque Tecnológico nas estruturas em Cachoeirinha.

Durante os cursos de graduação, os estudantes são incentivados a empreender no seu ramo de atividade, porém, na criação de uma empresa, a estabilização no mercado requer um tempo de amadurecimento do empreendimento. Portanto, é importante que a Universidade ofereça uma estrutura para acomodar empresas incubadas como forma de apoiar e fomentar o empreendedorismo. A instalação da Incubadora Tecnológica na estrutura existentes em Cachoeirinha agrega valor à área que se torna um espaço para empresas incubadas evoluírem como microempresas, com tempo e estrutura adequadas para o seu desenvolvimento.

Espaço Empresa Maker

Propósito: Montagem de uma estrutura para ensaios e sistemas produtivos que se configure como um espaço aberto de inovação para a construção de sistemas automatizados de manufatura, onde usuários possam operar os equipamentos para a geração de protótipos funcionais. Instalação em Laboratório de Processos Industriais, nos espaços em Cachoeirinha e Porto Alegre.

Curso de Especialização em Calibração de InstrumentosJustificativa: A montagem de experimentos de calibração requer conhecimentos sobre normas específicas e, considerando que a oferta de cursos sobre calibração de instrumentos elétricos é pouco atendida pelo mercado atualmente, esse é um importante nicho a ser explorado, especialmente com as condições que o acesso a laboratórios, adequados, possibilitarão à Universidade. Portanto, a Uergs pretende ofertar este curso de especialização no Laboratório de Calibração de Instrumentos em Cachoeirinha. Público-alvo: profissionais que atuam em laboratório e não possuem especialização.

Curso de Especialização em Normalização em Laboratórios IndustriaisJustificativa: Atuar em um laboratório industrial requer conhecimentos técnicos sobre a operação dos instrumentos, além das normas específicas para realização de ensaios e sobre a rotina de laboratórios industriais. Além disso, laboratoristas ou gerentes de laboratório devem ter conhecimentos transversais que dizem respeito à gestão, relação com cliente, sigilo, ética, entre outras. Este curso de Especialização se propõe a ofertar esses conhecimentos, no Laboratório de Calibração de Instrumentos, em Cachoeirinha, por meio de atividades iniciais que tratam da manutenção de equipamentos e verificação de uso, passando por todos os conteúdos específicos que abrangem a rotina de um laboratório industrial. Público-alvo: profissionais que atuam em laboratório, gerentes de laboratórios e empreendedores na área.

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.