RS registra quatro novos casos de sarampo, sendo eles em Cachoeirinha e Gravataí - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
A vacinação começou nesta segunda-feira (07) - Foto: Arquivo / SES

RS registra quatro novos casos de sarampo, sendo eles em Cachoeirinha e Gravataí

Em Cachoeirinha, ambos bebês, de 3 e 9 meses e os outros dois foram em Gravataí, onde a doença foi diagnosticada em uma criança de 8 meses e uma adolescente de 18 anos

Mais quatro casos de sarampo foram confirmados no Rio Grande do Sul nesta semana. No ano, já são 13 casos no Estado. Nesta segunda-feira (07) inicia nacionalmente uma campanha de vacinação para crianças de 6 meses a menores de 5 anos que não estejam com a caderneta em dia. A estratégia ocorre até o dia 25. O Dia D será em 19 de outubro, sábado, com a abertura extraordinária dos postos. Ao todo, já são 5,4 mil casos registrados no país neste ano, com mais de 95% dos casos no Estado de São Paulo.

Publicidade

Dos quatro novos casos no Estado, dois foram registrados em Cachoeirinha, ambos bebês, de 3 e 9 meses. Os outros dois foram em Gravataí, onde a doença foi diagnosticada em uma criança de 8 meses e uma adolescente de 18 anos. Nenhum dos casos apresentava histórico de viagem para fora do Estado. Os demais casos foram confirmados em Porto Alegre (oito casos) e um em Dois Irmãos.

Casos confirmados por faixa etária

  • Menor de 1 ano: 3 casos
  • Entre 15 e 19 anos: 4 casos
  • Entre 20 e 29 anos: 3 casos
  • Entre 30 e 39 anos: 2 casos
  • Maior de 50 anos: 1 caso

Situação epidemiológica no Estado em 2019

Publicidade
  •  Casos notificados: 381
  •  Descartados: 334 (87,7%)
  •  Confirmados: 13 (3,4%)
  • Em investigação: 34 (8,9%)

A doença

Sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo (exantemas) acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para investigação, principalmente aqueles que estiveram nos 30 dias anteriores em viagem a locais com circulação do vírus. Casos suspeitos devem ser informados imediatamente às secretarias municipais de saúde ou para o Disque Vigilância, por intermédio do número 150.

A mais efetiva forma de prevenção é a vacinação. Para ser considerada vacinada, a pessoa precisa ter o registro em caderneta de vacinação conforme esquema vacinal. A rede pública de saúde disponibiliza gratuitamente vacinas com componente sarampo (Dupla Viral/Tríplice Viral/ Tetra Viral) à população de 6 meses a 49 anos de idade e para profissionais de saúde e demais pessoas envolvidas na assistência à saúde hospitalar.

São consideradas vacinadas:

Publicidade
  • Pessoas de 12 meses a 29 anos que comprovem duas doses de vacina com componente sarampo;
  • Pessoas de 30 a 49 anos que comprovem uma dose de vacina com componente sarampo;
  • Profissionais de saúde, independentemente da idade, que comprovem duas doses de vacina tríplice viral.
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.