Reitor diz o que Cachoeirinha precisa para ter o Instituto Federal – oreporter.net – Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Júlio Xandro Heck - Foto: TV Câmara/Reprodução

Reitor diz o que Cachoeirinha precisa para ter o Instituto Federal

Júlio Xandro Heck usou a Tribuna Popular da Câmara de Vereadores na Sessão desta terça-feira (27)

Publicidade

Cachoeirinha – O reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Júlio Xandro Heck, usou a Tribuna da Câmara de Vereadores de Cachoeirinha na Sessão desta terça-feira (27) para explicar o que a cidade precisa para ter um campus. Ele atendeu um convite do vereador David Almansa, que no próximo dia 6 de julho fará o lançamento de uma Frente Parlamentar para ampliar a mobilização da cidade. O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal, Paulo Pimenta, vai participar de forma on-line.

Publicidade

Na Tribuna, Heck explicou que depois que o Governo Federal anunciou a retomada dos investimentos nos IFs, vários municípios passaram a se mobilizar. Não há recursos para atender todos os pedidos e um dos pontos fundamentais para quem deseja ter um campus é união da comunidade independentemente de cores partidárias. O movimento em Cachoeirinha estava iniciando quando Almansa assumiu a ponta e já esteve em Brasília, com o presidente da Câmara, Paulinho da Farmácia, iniciando articulações para colocar Cachoeirinha em uma posição privilegiada em relação aos demais municípios.

Publicidade

O prefeito Cristian Wasem, logo em seguida, também esteve em Brasília, mas fez contato com um setor responsável por atender prefeitos que costumam peregrinar pela Capital Federal, desafogando os ministérios. Não há ainda uma manifestação do prefeito em aderir ao movimento que vem ganhando corpo.

O reitor da IFRS reforçou que o ponto fundamental é a união. “… se as forças populares não estiverem organizadas dentro do mesmo espírito, independente do partido, da ideologia, da crença, seja ela qual for, queremos um campus do Instituto Federal na cidade de Cachoeirinha … essa deve ser a premissa número um. Premissa número dois é que haja um Instituto Federal já existente disposto a receber esse novo campus. E aqui esse é o compromisso que eu posso assumir com vocês. O IFRS ficará muito feliz e orgulhoso de receber do Ministério da Educação a tarefa de implantarmos um campus nessa cidade”.

Publicidade

Outro ponto que dá vantagem ao pedido é a Prefeitura oferecer uma área para a construção do campus. O reitor ainda destacou que “padrinhos” são importantes, como o apoio de deputados e até ministros. “Há critérios técnicos, população, IDH, eu não tenho dúvida que a decisão também será subjetiva”, disse, destacando que os apoios políticos ajudam. Nos modelos dos campi implantados, Heck estima que as novas unidades terão aproximadamente 70 professores e cerca de 45 servidores na área administrativa.

Ensino

Para os municípios que possuem um IF, o reitor explicou que uma das vantagens são cursos e pesquisas alinhadas com as potencialidades locais. “No futuro, quando historiados foram contar a história das cidades onde estamos localizados, eu não tenho a menor dúvida que eles dividirão em duas fases: antes e depois da instalação de um campus do Instituto Federal na cidade, pelas inúmeras possibilidades que nós trazemos. Ensino, pesquisa, extensão, formação de professores, tudo dentro do mais alto nível”, destacou.

E frisou: “Mais do que os cursos técnicos integrados, tem os cursos subsequentes para os que já concluíram o ensino médio. Para além disso, formação de jovens e adultos. Fazemos a formação de nível superior, bacharelados, engenharias, licenciaturas. Oferecemos os cursos superiores de tecnologias nas mais diversas áreas e também as possibilidades de mestrados profissionais. Oferecemos inúmeras possibilidades na educação à distância. Para além disso tudo, oferecemos a possibilidade que sejam desenvolvidos projetos de pesquisas, de desenvolvimento tecnológico, alinhados com as demandas locais.”

Confira o vídeo institucional do IFRS

Sobre o IFRS

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) é uma instituição federal de ensino público e gratuito que se propõe a oferecer ensino humanizado, crítico e cidadão. Tem cursos gratuitos em 16 municípios gaúchos. Entre as ofertas estão cursos de ensino médio junto com o técnico, para quem tem o ensino fundamental completo.

Quem está fazendo o ensino médio em outra instituição de ensino (pública ou privada) pode cursar somente a formação técnica no IFRS, em um técnico concomitante ao ensino médio. Outra opção é o ensino médio mais o curso técnico integrado na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), para quem tem 18 anos de idade ou mais e o ensino fundamental completo.

Aqueles com ensino médio completo podem optar por um curso técnico subsequente ao ensino médio para ter uma formação técnica ou então por uma graduação, para uma formação superior. O IFRS oferece ainda cursos de pós-graduação, como especializações e mestrados, e de cursos de extensão. Há também mais de 170 opções de cursos a distância (EaD) gratuitos, com cargas horárias entre 20h e 200h, que podem ser feitos por qualquer interessado.

As unidades do Instituto são: Campus Alvorada, Campus Bento Gonçalves, Campus Canoas, Campus Caxias do Sul, Campus Erechim, Campus Farroupilha, Campus Feliz, Campus Ibirubá, Campus Osório, Campus Porto Alegre, Campus Restinga (Porto Alegre), Campus Rio Grande, Campus Rolante, Campus Sertão, Campus Vacaria, Campus Veranópolis e Campus Viamão. A Reitoria está localizada no município de Bento Gonçalves.

No total, são aproximadamente 20 mil alunos e 260 opções de cursos. O quadro de servidores é composto por mais de 1.150 professores e 970 técnicos administrativos. 

Destaques conquistados

O IFRS possui conceito 4 (quatro) no Índice Geral de Cursos (IGC), em uma escala crescente que vai até cinco.  Os dados referem-se ao ano de 2021 e foram divulgados em março de 2023 pelo Ministério da Educação (MEC). Esse é um dos indicadores de qualidade da educação superior.

O Instituto avançou no Índice Geral de Cursos (IGC) contínuo, passando de 3,266 para 3,285. Com essa melhora, ficou com o segundo maior IGC contínuo entre os 38 Institutos Federais.

O IFRS também está classificado entre as melhores universidades do mundo no ranking do Centro de Classificações Universitárias Mundiais (CWUR). No ano de 2022, conquistou pela quarta vez consecutiva colocação nesta listagem que contempla instituições do mundo inteiro.

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.