Quase a metade dos vereadores avalia ou vai trocar de partido - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Governo pode perder a maioria e não ter mais como reconquistá-la - Foto: André Guterres/Arquivo

Quase a metade dos vereadores avalia ou vai trocar de partido

Janela partidária abriu na última quinta-feira (5) e vai até o dia 3 de abril e até lá é permitida a troca de partido sem o risco de perder o mandato

Cachoeirinha – Quase a metade dos 17 vereadores da Câmara de Cachoeirinha pretende ou está avaliando trocar de partido até o fechamento da janela partidária em 3 de abril. Ela iniciou na última quinta-feira (5) e neste período é permitido mudar de sigla sem haver o risco de perder o mandato. Três parlamentares, todos do PSB, já se desfiliaram e avaliam convites: Marco Barbosa, Jacqueline Ritter e Ibaru Rodrigues.

Publicidade

Na manhã desta sexta-feira (6), oreporter.net ouviu todos os parlamentares e apurou que três estão avaliando convites e dois já decidiram se desfiliar mas ainda não definiram para qual sigla irão. No MDB estão dois vereadores do partido do vice-prefeito, mas são oposição ao Governo. Alcídes Gattini está avaliando sete convites. Já Rubens Otávio decidiu deixar a sigla e vai ficar independente até o último prazo da janela.

Ele é cotado para ser candidato a prefeito pelo PTB ou integrar a majoritária em uma eventual aliança com PP, PRB e Cidadania, entre outros partidos. Vereador mais votado da última eleição, Rubens Otávio disse para a reportagem que abrir mão de uma reeleição praticamente certa para um novo mandato no Legislativo não é problema: “Um dia eu não vou ser reeleito”, resume deixando no ar que pode aceitar o desafio de disputar votos com o atual prefeito Miki Breier, mas isto depende da força da aliança a ser fechada.

Dos oito vereadores que avaliam ou já decidiram trocar de partido, seis são da oposição e dois da base governista. Até o final da janela, o Governo Miki Breier poderá perder a maioria no Legislativo. Hoje ele tem nove vereadores, mas Cristian Wassem, do MDB, pode parar no Democratas, que é oposição e teve candidato a prefeito na última eleição. O quadro poderá ficar ainda mais delicado se Manoel D’Ávila deixar o PDT e escolher um partido oposicionista.

Publicidade

Quem já se desfiliou

  • Marco Barbosa – É da oposição. Deixou o PSB e pode ir para o Progressistas
  • Jacqueline Ritter – É da oposição. Deixou o PSB e pode ir para o Cidadania
  • Ibaru Rodrigues – É da oposição. Deixou o PSB e pode ir para o Republicanos, mas analisa outros dois convites

Quem avalia deixar o atual partido

  • Cristian Wassem – É da base do Governo, mas pode ir para a oposição. Está no MDB e avalia convite do Democratas
  • Alcídes Gattini – É da oposição. Está no MDB e avalia sete convites
  • Manoel D`Ávila – É da base do Governo, mas pode parar na oposição. Está no PDT e avalia convites de quatro partidos

Quem vai deixar o atual partido

  • Rubens Otávio – É da oposição. Vai deixar o MDB e ficará independente até o fechamento da janela partidária. Avalia convites e entre eles está o do PTB
  • Felisberto Xavier – É da base do Governo e continua nela. Vai deixar o PV e se filiar no PSD

Quem não vai mudar

Publicidade
  • Brinaldo Mesquita – É da base do Governo. Está no MDB
  • Joaquim Fortunato – É da base do Governo. Está no PSB
  • Jussara Caçapava – É da base do Governo. Está no PSB
  • Eduardo Keller – É da oposição. Está no PRB
  • Edison Cordeiro – É da oposição. Está no PRB
  • Paulinho da Farmácia – É da base do Governo. Está no PDT
  • Fernando Medeiros – É da base do Governo. Está no PDT
  • Deoclécio Mello – É da base do Governo. Está no Solidariedade
  • Nelson Martini – É da oposição. Está no PTB
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.