PTB estadual quer Miki, local não. Prefeito já se decidiu - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Miki diz que oposição quer fazer o Governo sangrar - Foto: Divulgação

PTB estadual quer Miki, local não. Prefeito já se decidiu

Desde o episódio da cassação, prefeito tem sido sondado por alguns partidos, conforme revela. Convite do PTB faz parte de articulação regional mirando o Piratini em 2022

Cachoeirinha – Não são apenas as eleições do ano que vem que movimentam a política de Cachoeirinha. Lideranças regionais e estaduais do PTB já estão de olho na eleição para o governo do Estado em 2022 e o plano traçado é a formação de uma base forte para dar sustentação à candidatura do prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, ao Palácio Piratini.

Passando por cima do PTB local, presidido por Reni Tolentino, que rompeu com o prefeito Miki Breier, o deputado federal Ronaldo Santini, o ex-senador Sérgio Zambiasi e o próprio Busato já fizeram a primeira investida para terem um prefeito em Cachoeirinha. E da forma mais fácil.

Na casa de Busato há poucos dias, Miki ouviu o projeto dos petebistas e saiu do encontro agradecendo o convite para se filiar ao partido.

“Eu fiz muitos amigos nos 10 anos como deputado estadual. Com o que aconteceu em Cachoeirinha, onde três dos nossos cinco vereadores votaram a favor da denúncia que queria a cassação do meu mandato, sondagens surgiram. Ouvi do PSD e do PDT que as portas estão abertas, assim como do PTB. Eu fiquei lisonjeado com o convite do PTB, mas não penso em sair do PSB. Eu tenho um compromisso com o PSB e uma relação muito forte com o Beto (Beto Albuquerque, vice-presidente nacional do PSB)”, disse Miki ao oreporter.net.

Para o prefeito, “quem vai ser punido pelas instâncias partidárias”, por terem votado pela abertura do processo de cassação, são os vereadores socialistas. “Tem a comissão de ética tratando disso”.

Mas o agradecimento e a resposta negativa de Miki ainda não encerraram as investidas do PTB. Um novo encontro já estaria agendado, desta vez com a presença do presidente estadual do partido e presidente da Assembleia Legislativa, Luis Augusto Lara.

Tolentino está com o nome de Rubens na cabeça para ser candidato a prefeito no ano que vem – Foto: Roque Lopes/oreporter.net

Quem não gostou nada do convite foi o presidente local do PTB. Reni Tolentino diz que é contra: “Não estou sabendo de nada e o partido estadual não pode passar por cima da Executiva local. Se Miki chegasse a ingressar no partido haveria uma debandada geral. Não ficaria ninguém”, avisou.

Matos e Martini na Câmara de Vereadores – Foto: Roque Lopes/oreporter.net

Tolentino e o vereador Nelson Martini estão rompidos com o governo desde que perderam suas indicações políticas para cargos na Prefeitura por apoiarem a tentativa de cassação. Até um FG que o filho de Tolentino tinha foi cortado. O PTB, contudo, continua no governo representado pelo primeiro suplente a vereador Valdir Matos, hoje secretário de Assistência Social, Cidadania e Habitação.

Para Tolentino, o PTB não está no governo. Ele chegou a elaborar um ofício enviado ao prefeito Miki Breier solicitando que a sigla não fosse mais usada em planilhas onde os aliados são citados. Valdir Matos não concorda com seu presidente. “O Reni e o Nelson não são o PTB. Eu faço parte da Executiva e não estou sabendo de nenhuma decisão que deixamos de fazer parte da base”, afirmou.

“Ele não sabe nada porque não faz parte da Executiva. O Valdir integrava a comissão provisória e agora temos um diretório eleito e ele sequer compareceu na votação”, retrucou Tolentino.

Já o prefeito Miki Breier ignorou o ofício: “Eu não considero ofício de gente que conspira contra o governo. O PTB continua nos apoiando e isto nos orgulha muito”, frisou.

Rubens afirmou que não pretende deixar o MDB – Foto: Roque Lopes/oreporter.net

Projetando as eleições do ano que vem e pretendendo fazer do PTB uma via alternativa, Tolentino revelou que o partido terá um candidato a prefeito tendo o vereador do MDB, Ruben Otávio, como candidato a prefeito.

O parlamentar, no entanto, descarta a possibilidade: “Estou muito bem no MDB. O que defendo é que tenhamos um candidato a prefeito e se ninguém se dispuser a concorrer eu coloco o meu nome à disposição”.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.