Pré-candidato do PT é filiado ao PP. Presidente explica - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Jeferson Lazzarotto - Foto: Reprodução perfil David Almansa no Facebook

Pré-candidato do PT é filiado ao PP. Presidente explica

Jeferson Lazzarotto assinou ficha de filiação no PT, mas ainda aparece no TSE como vinculado ao PP

Cachoeirinha – O PT anunciou que o ex-presidente da seccional da OAB/RS em Cachoeirinha, Jeferson Lazzarotto, é o seu pré-candidato a prefeito. O ex-candidato a prefeito, Volnei Borba, que havia anunciado sua disposição em concorrer novamente, acabou não se inscrevendo dentro do prazo e argumentou que desistiu depois que ficou sabendo da escolha de um filiado há 28 anos no PP.

Publicidade

“O PT nunca buscou candidaturas de fora. Não é da nossa cultura interna esse tipo de situação e ela gerou o maior desconforto. O fato é que ele (Lazzarotto) é filiado ao PP desde 01/10/1991. Ele apoiou (Antonio) Britto em 1997 contra Olívio Dutra. Não precisamos buscar ninguém de fora, mas na visão do presidente do PT, buscar alguém no PP é uma estratégia”, ironiza. Volnei publicou uma nota em sua página no Facebook comunicando sua decisão de não disputar as prévias (leia no final da matéria).

Já o presidente do PT, David Almansa, enviou uma nota para a redação. Antes disso, por telefone, ele explicou que a nova filiação de Lazzarotto torna nula a anterior e que os dados do TSE estão desatualizados.

Confira, na íntegra, a nota do presidente do PT:

Publicidade

Quando assumimos a direção do PT, em 2017, recebemos um partido em frangalhos. Não tínhamos um CEP, nem vereadores, nem recursos financeiros. Também fomos surpreendidos pela não participação no Processo de Eleições Diretas (PED) de boa parte das tradicionais correntes do PT, ou seja, o desafio de dirigir o maior partido de esquerda da cidade com apenas parte da sua direção. De lá para cá, seguimos a provocação da direção nacional para que ampliássemos o lastro de filiados e lideranças no PT. De lá para cá, trouxemos de volta ao partido os companheiros Ana Fogaça e Isalino Kingeski, ambos foram candidatos a prefeito pelo PSOL em 2012 e 2016 respectivamente. Filiamos o ex-presidente da OAB, Jeferson Lazzarotto e cerca de mais de 400 outros militantes, muitos destes hoje são dirigentes do PT no mandato que se estenderá até 2023. Ou seja, nossa tática foi fortalecer o partido com figuras públicas, dirigentes e militantes de oposição ao governo municipal.

É importante lembrar que desde 2005 o PT faz oposição ao governo local que, na nossa avaliação e de boa parte da população, faz muito mal às pessoas desta cidade. Então temos uma política clara e objetiva de ampliar a influência do PT nos diversos setores da sociedade. 

A atual direção, composta por 22 membros titulares de todas as forças políticas internas, incluindo a do companheiro Volnei Borba, aprovou, por unanimidade, no dia 16 de dezembro de 2019, um calendário eleitoral que previa a definição da nossa candidatura majoritária. Tal calendário teve por objetivo garantir a todo e qualquer filiado o direito de se inscrever para ser pré-candidato a prefeito e vereador (este último estendendo-se até o dia 31 de março). 

A parte B do artigo 142 do estatuto do PT condiciona a inscrição de uma pré-candidatura a prefeito a apresentação de um requerimento constando o mínimo de 10% de assinaturas do número total de votantes no último PED, ou seja, 50 filiados. No diretório municipal do dia 03/02/2020, encerrou-se o prazo para o protocolo deste requerimento. Apenas a pré-candidatura de Jeferson Lazzarotto foi apresentada. A direção não recebeu um documento formal de desistência do companheiro Volnei, embora tenha recebido, no ano passado, um documento assinado pelas tendências internas Esquerda Democrática, Articulação de Esquerda, Avante e Democracia Socialista, indicando a vontade de inscrever a pré-candidatura do Volnei. Eu, na qualidade de presidente municipal, fui informado da mesma forma que o amigo, pelas redes sociais, um dia após o término do prazo para inscrição de pré-candidaturas, tão pouco foi apresentado pelos seus aliados o seu nome como pré-candidato. 

O que posso garantir é que a atual direção, repito, composta por todas as forças, criou todas as condições estatutárias para que qualquer dos nossos quadros pudessem pleitear a indicação majoritária.

Sobre a filiação do Jeferson, cabe ao cartório eleitoral a inclusão de dados no sistema de filiação. Nos registros do PT, Jeferson é um filiado, tendo todos os direitos e deveres assegurados pelo estatuto, inclusive o de ser candidato a prefeito. Além disso, compete única e exclusivamente a cada força política do PT a definição da sua estratégia ou nome, não cabendo a outra força a intromissão na definição da mesma. O que ocorre é que, de forma democrática, a última palavra é das instâncias do PT ou da totalidade dos seus filiados convocados a votar em uma prévia, semelhante ao que ocorre neste momento nos EUA, com as primárias do Partido Democrata. Como temos apenas um pré-candidato, não haverá prévias, somente se ocorrer alguma outra definição de instâncias superiores.

Por fim, seguiremos firmes na estratégia de ampliação do PT, lutando por uma cidade melhor, diferente, moderna e solidária. Vamos reconquistar o nosso espaço no legislativo e vencer as eleições municipais com uma ampla frente popular e democrática. 

David Almansa – Presidente Municipal do PT

Leia, na íntegra, a nota de Volnei Borba

DESISTÊNCIA DA PRÉ-CANDIDATURA A PREFEITO

Comunico da minha desistência na pré-candidatura a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores nas eleições desse ano. Agradeço a todas correntes do PT e as lideranças que confiaram em meu nome. Concorri a prefeito em 2012 numa disputa muito difícil, mas sempre com muita dignidade e respeito a todos, dentro e fora do PT, numa ambiência partidária interna de muito diálogo com filiados (as) e também com todas as forças internas que compunha o Partido dos Trabalhadores naquele período, o que permitiu a construção de uma candidatura de consenso. Chegamos em 2º lugar, com 12.613 votos confiados a nós, e, em nosso projeto político de cidade, mesmo tendo uma disputa eleitoral muito desigual.

Hoje, diferentemente de 2012, uma parte da direção do PT de Cachoeirinha entende que buscar um pré-candidato a prefeito de fora e de outro partido é a alternativa mais viável. Cabe registrar que não é da cultura política do PT a busca de candidaturas de fora, haja vista que temos em nossos quadros lideranças que poderiam muito bem representar o nosso projeto político. Por tudo isso, tomo essa decisão muito difícil de declinar na disputa, pois me deixa numa situação extremamente desconfortável em disputar as prévias com uma pessoa que embora eu respeite, continua filiado formalmente ao PP – partido progressista há mais de 28 anos, portanto, meu nome não será mais empecilho para a unidade partidária. Tenho dito.

Volnei Borba

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.