Passarela na Betânia ganha forma, mas conclusão vai atrasar - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Montagem das rampas foi iniciada - Foto: Roque Lopes/oreporter.net

Passarela na Betânia ganha forma, mas conclusão vai atrasar

Previsão de conclusão era para este ano, mas a obra será entregue em 2022 sem data prevista

Cachoerinha – A passarela de pedestres na RS-118 para dar segurança aos moradores do bairro Betânia, que passaram a ter mais dificuldades para cruzar a rodovia depois da duplicação, começou a ganhar forma esta semana com a instalação das estruturas de aço. A obra, cujo investimento é de R$ 3,8 milhões, foi lançada oficialmente em 21 de julho com a presença do secretário estadual de Logística e Transportes, Juvir Costella, do prefeito Miki Breier e do vereador Brinaldo Mesquita.

Na época, a empresa vencedora da licitação estava realizando as fundações das colunas. Dias depois, tudo parou. Foram semanas sem nada ser executado. Há pouco mais de duas semanas, os trabalhos foram retomados com a construção das colunas e agora foi iniciada a instalação das estruturas de aço em um dos lados, no sentido Cachoeirinha/Gravataí.

Publicidade

Conforme a assessoria de imprensa do Daer, o atraso na obra se deve a dois fatos. O primeiro era a utilização de um espaço como depósito de materiais de construção por uma empresa na esquina da RS-118 com a Avenida Atlântica. Outro ponto foi a dificuldade na obtenção de materiais para a construção em função da pandemia. Diversos setores da economia estão sofrendo com a dificuldade na obtenção de insumos.

A passarela, que terá 300 metros de travessia, deverá ser entregue à comunidade até o final do ano. O Daer informou que o prazo não poderá ser cumprido e a conclusão foi prorrogada para o início de 2022 mas ainda sem uma data definida.

Publicidade

Neste trecho da RS-118, do viaduto da Frederico Ritter até a entrada da Betânia, na pista lateral, a Sultepa está fazendo a fresagem para executar o recapeamento. Havia muitos buracos. Eles chegaram a ser tapados, mas o conserto durou poucos meses. A obra deverá se estender até a altura de um posto de combustíveis. Conforme o Daer, a manutenção já estava prevista no contrato da duplicação.

Atualizada – 03/12/2021 – 19h12min

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.