Orientações para comprar um imóvel em Porto Alegre sem se afundar em dívidas - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Planejamento financeiro não deve ser esquecido - Foto: Pexels

Orientações para comprar um imóvel em Porto Alegre sem se afundar em dívidas

Confira alguns passos importantes que devem ser dados no momento da decisão de fazer a compra do imóvel

  • Por Pamela de Castro

Dentre os problemas que mais geram dor de cabeça ao consumidor brasileiro, talvez o mais preocupante seja o endividamento. No entanto, existem etapas a serem percorridas até que o caos assole seu bolso. Geralmente, quando nos deparamos com uma condição financeira aquém da nossa expectativa, atribuímos a um salário baixo, à sobrecarga nas despesas ou, até mesmo, ao cenário adverso apresentado pela economia do nosso país. Só que, como não deve ser novidade para ninguém, nós que possuímos a incumbência de lidar com o dinheiro que recebemos e, sendo assim, identificar aquilo que é ou não fundamental para ser adquirido.

Publicidade

Esse parâmetro, que é estabelecido com a finalidade de detectar nossas prioridades, torna-se essencial em momentos que antecedem grandes aquisições. Isto porque, em meio à inclinação de uma compra que, inevitavelmente, vamos realizar, uma vez que carregamos conosco esse desejo por muito tempo, reforça-se a importância de considerarmos tudo aquilo que realmente pode nos agregar através da sua compra, sendo assim, filtrando a aquisição de produtos e serviços que serão prioridades em nosso dia-dia.

O que motiva a compra do consumidor?

E, quando levamos em consideração o atual panorama econômico brasileiro que, potencializado pela pandemia, gerou mais empecilhos aos consumidores, devemos seguir de maneira mais rigorosos quaisquer que sejam os hábitos alinhados a um planejamento financeiro. Fato é que, em nossa rotina diária, a tomada de decisão de compra está condicionada ao benefício que o determinado serviço ou produto comprado oferecerá. Por exemplo, quando buscamos um imóvel em Porto Alegre, dificilmente nos atentamos de forma imediata ao seu valor monetário e, prioritariamente, direcionamos nossos olhares às vantagens que residir naquela casa promoverá, desde facilidades na localização, iluminação, quantidade de dormitórios, espaços para lazer, visão privilegiada e etc.

Publicidade

Esse comportamento, que é intrínseco da condição humana, já que o consumidor e o ser humano disposto a comprar seriam a mesma pessoa nesta perspectiva, apresenta questionamentos que poderão ser nocivos ao nosso bolso, mesmo que em longo prazo. Afinal, a prática do consumo é, na maioria das vezes, efetuada por impulso, representando desejos e necessidades que se encontram em nosso subconsciente e, conforme nos deparamos com produtos ou serviços com o poder de suprir essas carências, não hesitamos na aquisição, deixando a racionalidade de lado e desconsiderando a possibilidade de manter suas finanças saudáveis.

O consumo inconsciente que estimulou o endividamento

Quando se trata de comprar casa em Porto Alegre, o processo de compra condiz com a narrativa apresentada. Mesmo que, a todo momento, sejamos bombardeados com campanhas em prol de um consumo consciente, acabamos não indicando uma adesão à essa cultura, priorizando a emoção em detrimento da razão.

E, como a propensão do consumidor está relacionada a compra de um imóvel, cujo preço é amplamente superior às aquisições banais características de um consumo inconsciente, a tendência do acúmulo de débitos e, consequentemente, um endividamento ainda mais volumoso, faz-se ainda mais presente.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o número de endividados no Brasil em 2019 corresponde à 65,1% da população nacional, índice esse que é o maior dos últimos três anos e responsável por escancarar o quão imprudente é o cidadão em meio às suas decisões de compra. Esse registro é um indicativo de que, mesmo sem reunir todas as credenciais financeiras, o brasileiro não irá titubear quando for buscar um apartamento à venda em Porto Alegre.

Diretrizes a serem adotadas para realizar seu sonho da casa própria sem dívidas

Por isso, torna-se imprescindível adotar orientações que preservarão o seu dinheiro e, mesmo assim, poderão contempla-lo com um imóvel próprio. Em primeiro, acumule o valor mais significativo para que seja possível dar entrada na compra da sua nova residência. Posteriormente, estabeleça metas de remuneração, buscando novos meios para aumentar sua receita mensal, desta maneira, expandindo seu fôlego financeiro.

Em seguida, elabore um planejamento financeiro, cujo objetivo se resumirá no corte de despesas e otimização de custos, favorecendo o fechamento dos meses no azul e, com isso, garantindo mais dinheiro em caixa para que você arque devidamente com os valores atrelados ao imóvel.

Na sequência, explore as formas mais acessíveis de financiamento, considerando projetos sociais como o Minha Casa Minha Vida, de forma que sua renda mensal não fique 100% comprometida com as parcelas do imóvel. Sendo assim, o endividamento não te ameaçará e você desfrutará de uma qualidade de vida única em sua nova propriedade.

Gostou deste artigo sobre Orientações para comprar um imóvel sem se afundar em dívidas? Não perca tempo e compartilhe-o em suas redes sociais!

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.