OPINIÃO: qualidade do hospital de campanha causa espanto na oposição - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Visita técnica aconteceu na segunda-feira - Foto: Divulgação

OPINIÃO: qualidade do hospital de campanha causa espanto na oposição

Resultado da visita técnica realizada pelos integrantes da CPI na estrutura no Ginásio da Fátima foi o assunto principal na Sessão da Câmara desta terça

Cachoeirinha – O resultado da visita técnica ao hospital de campanha, montado no Ginásio da Fátima, realizada pelos três vereadores da CPI que investiga possíveis irregularidades, causou espanto em vereadores oposicionistas. Não é possível chegar a outra conclusão diante do que disseram na Sessão da noite desta terça-feira (22) da Câmara. Parece que desejavam que no local camas estivem sem pés escoradas com tijolos, respiradores caídos pelo chão, gente gemendo e que não existissem médicos. Tudo em meio a ratos e baratas.

Publicidade

O presidente da CPI, Fernando Medeiros, bem lembrou que era necessária uma visita para ver a real situação da estrutura, pois o que vinha sendo comentando poderia fazer com que muitas pessoas deixassem de procurar ajuda. O parlamentar é sempre comedido nas palavras, mas eu não preciso. Oposicionistas vinham e continuam causando terror.

Rubens Otávio e Edison Cordeiro, o presidente do Legislativo, citam mortes ocorridas lá de uma forma que sugere haver negligência. É muita irresponsabilidade. Cordeiro ainda disse na noite desta terça que se a CPI não der em nada ele não sabe o que vai dizer para as famílias que perderam parentes. Então, por ele, mesmo sem investigar, tem que cassar o prefeito.

Já um integrante da CPI, Ibaru Rodrigues, que é apenas um membro da comissão e não relator, chegou a se manifestar indicando que o relatório tem que apontar irregularidades. Mas a investigação está recém no começo. Oposicionistas, que se uniram em torno de dois vereadores que formam uma chapa para tentar vencer a eleição para prefeito, usam o hospital de campanha com o objetivo de colher vantagens eleitorais.

Publicidade

Pelas manifestações deles, nem precisaria haver uma CPI. Bastaria fazer um relatório e já abrir o processo de cassação do mandato do prefeito. Noto um ar de vingança nos parlamentares que perderam seus cargos no Governo. São discursos, por vezes, raivosos.

Para quem não sabe, os primeiros três meses do hospital de campanha tiveram apontamentos do Tribunal de Contas. São falhas administrativas como a falta do contrato, algo tão básico que nem é possível acreditar que esqueceram. Mas esqueceram. Depois dos três meses e já com um novo secretário, os erros foram corrigidos e a estrutura modificada passando a ser uma central de atendimento da Covid.

Os respiradores não são novos e a legislação permite a compra de usados. E somente dois dos oito apresentaram defeito e isso não comprometeu em nada o atendimento das pessoas. Sei, ocorreu falta de médicos em determinados horários. Não deveria, mas isto acontece e não tivemos mortes por conta disso. Certas coisas não dependem da vontade do gestor que deve tomar todas as providências para solucionar os problemas que surgem. Foram tomadas todas as medidas legais com relação a empresa que forneceu os respiradores e a que hoje forneceu médicos.

A população também não sabe que vereadores tomam decisões políticas. E os que foram praticamente expulsos do Governo, perdendo seus cargos, querem cassar o prefeito. É a vingança. O resultado do que investigam fica nisso, até porque não possuem a habilitação necessária para irem além. Não quero dizer que não devem investigar, até porque está é uma das principais funções do vereador. Mas usar o hospital de campanha para tentar angariar votos é inadmissível, ainda mais quando fazem discursos que deixam pessoas com receio de procurar atendimento médico.

Se houve ou não alguma irregularidade na montagem da estrutura, os desdobramentos virão através da análise do Ministério Público e do setor de combate à corrupção da Polícia Civil. E eles nem vão precisar olhar o relatório da CPI, pois já possuem todos os documentos e poderão tomar depoimentos. O TCE não apontou nenhum desvio de recursos, é bom lembrar. Estes órgãos são técnicos e não políticos. Eles não têm interesse em obter vantagens eleitorais como estão demonstrando os vereadores oposicionistas. Investigar é uma coisa. Querer tirar vantagem sobre isso a poucos meses da eleição, é campanha eleitoral.

LEIA MAIS

CPI visita o hospital de campanha e não encontra irregularidades

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.