OPINIÃO: o acerto de Miki, o vereador 2.0 e o tom raivoso - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí

OPINIÃO: o acerto de Miki, o vereador 2.0 e o tom raivoso

O início das atividades da Frente Parlamentar do Transporte Coletivo traz consigo um simbolismo que merece ser analisado

A base governista na Câmara de Vereadores vinha barrando a criação de frentes parlamentares demonstrando um certo contrassenso uma vez que o prefeito Miki Breier, enquanto deputado, criou muitas na Assembleia Legislativa. Não que fosse uma orientação dele. A verdade é que na “revolta dos cargos”, o movimento no qual parte da base aliada se aproveitou da oposição para chantagear o prefeito por mais espaços sob pena de ser cassado, como o oposicionista David Almansa disse em pronunciamento há alguns dias, a primeira que surgiu acabou passando. E por unanimidade. Foi a do transporte coletivo.

Na noite desta quarta-feira (11), a frente parlamentar proposta por Almansa, iniciou seus trabalhos e chama a atenção a adesão do Governo. É uma clara sinalização de que Miki/Maurício, embora sempre digam que há diálogo, estão mais do que nunca disposto a ele. E não interessa se a iniciativa veio da oposição. O governo foi em peso e o prefeito apoia a iniciativa trazendo os vereadores para o debate em busca de alternativas que melhorem o transporte público. No que isso vai dar, ainda é cedo para saber. Mas é um ótimo começo.

Publicidade

Pode ser o sinal de que haverá uma guinada na forma de condução de muitos temas polêmicos. E neste cenário é preciso analisarmos quão preparados estão os opositores. Na audiência desta quarta deu para notar que o vereador Marco Barbosa mantém um tom raivoso, o da acusação e crítica sem apresentar nada de concreto como sugestão. Fez isso ao comentar os repasses que a prefeitura vem fazendo para a Transbus, uma obrigação legal de reequilibrar o contrato, algo que vem sendo feito em centenas de municípios Brasil afora.

Aqui quero entrar em outro ponto: o vereador 2.0, a evolução. Poderia ser nome de filme de ficção, mas está longe disso. É a nova forma de fazer política em Cachoeirinha que vem sendo ensinada pelo novato David Almansa e que vem deixando alguns parlamentares constrangidos e abrindo os olhos de eleitores para que cobrem mais trabalho dos eleitos. Na democracia, ser oposição não significa ficar o tempo todo criticando quem está no governo, só apontando defeitos, levantando suspeitas de fraudes, corrupção e por aí afora, sem mostrar caminhos e dar sugestões.

Publicidade

Apesar de um vereador estar na oposição, o papel de fiscalizar e de apontar erros pode ser exercido com um acréscimo: a busca de soluções através do debate e de iniciativas concretas. Almansa vem mostrando na prática como se faz isso e só para citar um exemplo fico na questão dos catadores.

Ele poderia usar todos os seus espaços para criticar a falta de preocupação da prefeitura com a associação dos catadores e recicladores. Mas não fez isso. Conversou com o prefeito, apresentou uma ideia, buscou recursos para a compra de carrinhos, e está mostrando o caminho para a entidade passar a fazer a coleta de recicláveis sendo remunerada pela prefeitura.

Temos ainda o exemplo de Felisberto Xavier que apresentou a proposta da unidade móvel com dentista para atender estudantes na rede municipal. Levou a ideia ao prefeito, viabilizou os recursos e está acompanhando a execução.

Então, este é modelo de vereador 2.0. Verdade que muitas destas iniciativas poderiam ser da própria prefeitura, mas há tantas questões a serem atendidas que não é possível pensar em tudo. Mas quando se tem parlamentares dispostos a trabalhar um pouco mais, de travar o bom debate democrático, em vez de ficarem sentados na frente dos seus microfones só fazendo críticas, a sociedade sai ganhando. Então, está na hora de o eleitor refletir um pouco sobre o que o seu eleito vem fazendo e cobrar dele uma nova postura. Ficar o tempo todo dizendo que algo está ruim, ainda mais quando todo mundo sabe disso, não constrói nada. Não podemos continuar convivendo com o somos nós contra eles. Tem que ser todos em favor a população.

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.