OPINIÃO: Miki e Maurício escalam a tropa de choque - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Quem está ao lado do prefeito e vice - Foto: Divulgação

OPINIÃO: Miki e Maurício escalam a tropa de choque

Vereadores que estão ao lado do governo posam para foto e manifestam apoio nas redes sociais

O movimento da tropa da cassação do prefeito Miki Breier e do vice Maurício Medeiros fracassou. A liminar suspendendo o processo em virtude do impedimento do cunhado do prefeito, Marco Barbosa, foi apenas uma batalha vencida contra a guerra para tomar o poder em Cachoeirinha.

Atuando na frente política e jurídica, Miki vai conquistando terreno enquanto a tropa da cassação se perde. O episódio da noite desta terça na Câmara, com acusação contra o vereador pedetista, Manoel D`Ávila, de agredir um CC por ser cobrado pela promessa de empréstimo de brinquedos infláveis, é apenas um sinal de que os ânimos estão ficando acirrados diante do fracasso.

As negativas de cargos e do atendimento de pedidos eleitoreiros formulados por vereadores, como é de conhecimento público, motivaram a denúncia por possíveis irregularidades político-administrativas que acabou originando abertura do processo de cassação. A guerra ainda não está ganha, pois assim que a Justiça sentenciar, a Câmara vai trocar Marco Barbosa e tentará reiniciar os trabalhos.

Tudo em vão. Miki e Maurício precisam apenas de seis votos para que a cassação seja evitada. E eles já têm mais do que isso. Nas redes sociais, os apoiadores do golpe em Cachoeirinha, agora passam nas ruas denunciando o que estão vendo de errado. Isto é ótimo, importante que se diga.

Eles só deveriam aproveitar e explicar para a população por quais motivos não estavam fazendo isso desde o início do governo, em 2017. Para quem não sabe, uma das principais funções do vereador é de a fiscalizar o Executivo.

Na Câmara, agora o prefeito sabe com quem pode contar nos momentos bons e ruins. A foto mostra. Mas é bom o governo não esquecer que a tropa de choque também fiscaliza e cobra. Então, se a parte importante da lição foi aprendida, é hora de dar ouvidos aos conselhos, pedidos e sugestões. E, o principal, agir. Só ouvir, reforço, não basta.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.