Opinião: Greve em Gravataí é um deboche com a população - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí

Opinião: Greve em Gravataí é um deboche com a população

Prefeito Marco Alba está correto em enfrentar o monstro que consome recursos da população para atender interesses particulares

A anunciada greve dos trabalhadores em educação de Gravataí é um deboche com a população. Não é de hoje que servidores públicos tomaram de assalto os orçamentos em todas as esferas de governo para sustentar privilégios que jamais deveriam ter sido concedidos.

Tivemos um cenário de fartura no período pré-crise econômica e muitos gestores irresponsáveis, com os cofres cheios, cederam às pressões por mais e mais vantagens. Veio a crise e muitas prefeituras quase quebraram carreando todos os recursos para pagar salários com inúmeros penduricalhos.

No caso específico de Gravataí, não podemos admitir que recursos públicos sejam drenados para satisfazer interesses particulares dos servidores e seus familiares com um plano de saúde. O Ipag Saúde quebrou e não há como continuar tirando dinheiro do povo para sustentá-lo.

O prefeito Marco Alba deve ser saudado pela decisão de extirpar esse câncer que se reflete na falta de mais obras e serviços para a população. O Ipag Saúde consumiu de recursos públicos para satisfazer os 5 mil servidores e mais 3 mil familiares um extra de quase R$ 7 milhões no final do ano passado.

Nos últimos oito anos, o Ipag levou quase R$ 80 milhões de dinheiro que sai do bolso da população. Quem sofre com a buraqueira na sua rua, por exemplo, deveria imaginar que ela poderia ser um luxo não fosse esse benefício para servidores e familiares. Não é o povo que deve pagar essa conta.

Botando na conta ainda a previdência dos servidores, o Ipag, considerando a contribuição da Prefeitura mensal e mais a amortização do rombo deixando por governos passados, os servidores serão responsáveis por consumir R$ 60 milhões do orçamento da Prefeitura.

Marco Alba ainda terá que enfrentar essa questão da previdência dos servidores. As alíquotas patronais, aquilo que a Prefeitura deve recolher mensalmente para garantir a aposentadoria dos servidores, aumenta a cada ano.

Para 2019, a alíquota será de 18% sobre a folha e ela vai subindo até chegar a 72% em 2035 para cobrir um déficit atuarial de R$ 1 bilhão e garantir aposentadorias por 15 anos. A reforma da Previdência é urgente e esse será outro ponto a ser atacado por Alba sob pena de a cidade quebrar.

Enfrentar essas questões são um enorme desafio, mas Marco Alba deve e está fazendo o que deve ser feito pensando em 300 mil pessoas, nos moradores de Gravataí, e não apenas em 5 mil servidores. Nesta hora, o povo precisa pensar na cidade e apoiar medidas que atendam a coletividade e não o interesse de grupos.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.