Líder do Governo se irrita com vereador da base - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Tardeti (E) sugeriu para vereadores não fazerem pedidos à Prefeitura para atender solicitações de contribuintes - Foto: Roque Lopes/oreporter.net

Líder do Governo se irrita com vereador da base

Cristian Wasem não gostou de ouvir João Tardeti sugerindo que colegas deixem de encaminhar para a Prefeitura pedidos recebidos de contribuintes

Cachoeirinha – O clima esquentou na Câmara de Vereadores na Sessão desta terça-feira (5) depois de vários vereadores se queixarem que a Prefeitura não vem atendendo seus pedidos formulados a partir de reclamações recebidas de contribuintes. Durante as manifestações, o fato de vereadores que apoiam o Governo Miki terem cargos na Prefeitura chegou a ser comentado. O vereador da base, João Tardeti, usou a Tribuna para dizer que ficava preocupado com colegas que trabalham apenas com expedientes, ou seja, pedidos encaminhados para a Prefeitura.

“Eu fico observando e me preocupa porque tem gente que trabalha somente em cima de expediente. Eu nunca trabalhei em cima de expediente. Eu tenho uma forma diferente de trabalhar. Eu faço aquilo que está ao meu alcance sem depender dos outros e eu deixo essa sugestão para os vereadores. As secretarias normalmente vão fazer sua parte, bem ou mal, e se não fizerem, a sociedade que cobre.” Para Tardeti, o papel principal do vereador é o de fiscalizar.

O vereador Paulinho da Farmácia pediu um aparte e abordou a questão dos cargos. “Agora só se fala em cargos. Ninguém é bobo aqui para ser feito de idiota. A gente está aqui de brincadeira, então? Vamos apresentar soluções, eu quero soluções!”.

“Temos muitos problemas para serem resolvidos, mas temos acertos também. Cada vereador  tem sua opção de ficar do lado do governo  ou ficar contra o governo. Cada um tem o seu jeito de trabalhar e tem que ser respeitado. Não adianta se atracar achando que só porque um não quer os outros não vão querer. Todos os partidos que entraram, que saíram e que vão entrar, vão trabalhar nesta prática”, apontou Tardeti.

O Líder do Governo, Cristian Wasem, se irritou: “Eu fico triste. A gente até perde um pouco a cabeça na Tribuna e passa até por mal educado. Mas a gente volta para casa e faz uma reflexão: será que meu lugar é aqui? Por Deus, penso muito nisso. Tem vereador aqui nesta casa em terceiro ou quarto mandato que participaram lá atrás da gestão do PSB com vontade, força, com felicidade e tinham cargos. Agora porque eu que cheguei agora vereador, cheguei ontem aqui, começando um trabalho, não posso ter o meu espaço. Por que isso?”, questionou Wasem.

E ele continuou, subindo o tom: “Eu fiz minha campanha toda sem nenhum cargo vereador. Fiz 1.214 votos de amigos e da família. Agora, porque tem cargo o Cristian é ruim, agora que é Líder de Governo e quer tentar resolver os problemas, o Cristian não presta? Tem vereador que chegou a ser secretário da Administração, secretário de Obras, secretário da Saúde e mais um monte de coisa, que fazia parte da gestão passada, e o Cristian é que é o abobado aqui? O que é isso vereador? Nós temos que fazer uma reflexão interna aqui todo mundo e pensar o que é certo ou errado aqui para cada um. Mas não vamos se ofender não. Cada um no seu lugar vereador. Eu não tinha cargo e hoje tenho com muito orgulho, tenho uma equipe forte e pretendo me reeleger e se não me reeleger sigo meu caminho. Como advogado, como corretor de seguros, como despachante de trânsito e como homem de família e de caráter”, pontuou.

O oposicionista Eduardo Keller, se dirigindo a Wasem,  entrou no debate para dizer que também estava fazendo algumas reflexões. “O senhor não foi acusado de ser bobo, de ser isso ou aquilo. Suas convicções têm que serem respeitadas sim, mas da mesma forma as nossas. O projeto de vocês, como o senhor disse, está baseado em cima da Bíblia. O nosso, então, está baseado nas coisas do diabo?”, questionou.

Conforme o Regimento Interno da Câmara, os apartes não podem ser utilizados para ser estabelecido um debate entre os parlamentares. O vereador Felisberto Xavier levantou uma Questão de Ordem para explicar que o debate não poderia ocorrer. Tardeti segui sua manifestação, mas sem confrontar as críticas de Cristian Wasem e Paulinho da Farmácia.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.