Isaura Rodrigues é imortalizada dando nome ao dique de Cachoeirinha – oreporter.net – Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Isaura liderou movimento - Fotos: Reprodução/Divulgação

Isaura Rodrigues é imortalizada dando nome ao dique de Cachoeirinha

Projeto do vereador Fernando Medeiros reconhece luta da moradora pela construção do dique

Cachoeirinha – A Câmara de Vereadores de Cachoeirinha aprovou na noite desta terça-feira (2) o projeto do vereador Fernando Medeiros que denomina o dique de Cachoeirinha de Isaura Rodrigues. A homenagem, conforme o parlamentar, é um reconhecimento da cidade por todo o empenho de Isaura, que se fosse viva teria hoje 96 anos.

Publicidade

“Ela, na sua bravura, insistência, liderança, articulou para que pudesse Cachoeirinha ter o Interior I, praticamente sem alagamentos. Então, é algo grandioso essa ação, 40 anos atrás, procurar o prefeito, ir a Brasília buscar recursos, articular a sociedade e realizar a obra do  dique”, salientou Medeiros na Tribuna.

Publicidade

Isaura, presidente da Associação Averonice, foi uma figura destacada na mobilização pela construção do dique. Antes dele, a água do Rio Gravataí subia tanto que chegava a bater no peito das pessoas. O extingo jornal Diário de Cachoeirinha, em sua edição de 15 de maio de 2010, data do aniversário da cidade, trouxe uma matéria de página inteira. “Desde que chegou, em 1977, foi agarrada por aquela que se tornou a obra de engenharia transformadora da urbanização de Cachoeirinha. Teve o dedo, a garganta e principalmente a paciência da dona Isaura toda a criação do dique no Rio Gravataí”, contou o periódico.

A mobilização foi grande na época. Começou de forma tímida e dias depois as reuniões já atraíam 30 famílias. No início dos anos 80, depois de uma negativa do Governo do Estado, liderados por Isaura foram a Brasília. Receberam promessa do então ministro Mario Andreazza. Dias depois ele morreu, mas a luta continuou.

Publicidade

“Nada que abatesse essa batalhadora. Ela recomeçou o caminho pelo prefeito Francisco Medeiros, chegou ao DNOS e arrancou o investimento na marra”, diz a matéria do Diário de Cachoeirinha. E a luta deu certo. Em 1986, chegou o primeiro aterro e o então prefeito assinou a ordem de serviço em cima do capô de um fusca. Familiares acompanharam a Sessão nesta terça e agradeceram a homenagem.

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.