Insolação: causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Cuidados com a pele no verão - Foto: Arquivo/oreporter.net

Insolação: causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção

O quadro de insolação merece especial atenção porque com o aumento rápido da temperatura corporal, a pessoa acaba perdendo muita água, sais e nutrientes

A insolação é uma condição séria provocada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor intenso. Ela acontece quando a temperatura corporal ultrapassa os 40º C, fazendo com que o mecanismo de transpiração falhe e o corpo não consega se resfriar.

Publicidade

O quadro de insolação merece especial atenção porque com o aumento rápido da temperatura corporal, a pessoa acaba perdendo muita água, sais e nutrientes importantes para manutenção do equilíbrio do organismo.

É importante lembrar que a condição da insolação está bastante associada ao clima quente e seco, mas também pode ocorrer em ambientes úmidos.

O que causa a insolação?

Publicidade

A insolação é causada basicamente por situações de exposição prolongada ao sol e ao calor. Normalmente acontece em ambientes muito quentes ou em situações que provoquem aumento rápido da temperatura corporal, como, por exemplo:

  • Passar muito tempo exposto ao sol sem protetor solar (na praia, no clube, na piscina etc).
  • Praticar atividades extenuantes, ou seja, que causam esgotamento, enfraquecimento físico.
  • Usar excesso de roupas, especialmente no calor.
  • Ficar sem se hidratar por muito tempo.

Quais são os sintomas da insolação?

A insolação causa sintomas que vão aparecendo aos poucos. Os primeiros sinais são:

  • dores de cabeça;
  • tontura;
  • náusea;
  • pele quente e seca;
  • pulso rápido;
  • temperatura elevada;
  • distúrbios visuais;
  • confusão mental.

Dependendo do tempo de exposição ao sol, os sintomas podem ser mais graves e podem incluir, entre outras coisas:

  • respiração rápida e difícil;
  • palidez (às vezes desmaio);
  • convulsão;
  • temperatura do corpo muito elevada;
  • extremidades arroxeadas;
  • fraqueza muscular;
  • coma;
  • morte.

IMPORTANTE: É essencial buscar ajuda médica imediata assim que surgirem os primeiros sinais e sintomas de insolação.

Quais são os fatores de risco da insolação?

Alguns fatores, hábitos, posturas, comportamentos e situações podem aumentar os riscos de insolação. Crianças, idosos, pessoas com doenças crônicas, como câncer, diabetes, hipertensão, e pessoas com imunidade baixa, como transplantados e portadores de HIV/Aids, devem ter cuidado especial com a insolação, uma vez que esta condição pode provocar efeitos colaterais graves com maior probabilidade nesse público.

  • Não beber líquidos adequadamente.
  • Ingerir muito álcool ou cafeína.
  • Pessoas que têm gastroenterites.
  • Pessoas que fazem uso de medicamentos para pressão alta, diuréticos, antidepressivos ou antipsicóticos

Como agir em casos de insolação (primeiros socorros)?

Se você presenciar algum caso de insolação, as medidas abaixo devem ser tomadas para auxiliar a pessoa. São os primeiros socorros até a chegada de um médico. O objetivo inicial é baixar a temperatura corporal, lenta e gradativamente. Para isso, siga os seguintes passos:

  • remover a pessoa para um local fresco, à sombra e ventilado;
  • remover o máximo de peças de roupa;
  • se estiver consciente, a pessoa deverá ser mantida em repouso e recostada (cabeça elevada);
  • pode-se oferecer bastante água fria ou gelada ou qualquer líquido não alcoólico;
  • se possível, deve-se borrifar água fria em todo o corpo da pessoa, delicadamente;
  • podem ser aplicadas compressas de água fria na testa, pescoço, axilas e virilhas;
  • tão logo seja possível, a pessoa deverá ser imersa em banho frio ou envolta em panos ou roupas encharcadas.

Em casos graves, procure atendimento médico de emergência. O melhor cenário é levar a pessoa imediatamente ao hospital ou solicitar apoio de urgência e emergência (SAMU 192).

Como tratar a insolação?

O tratamento da insolção consiste em reduzir a temperatura corporal da pessoa e hidratar bastante o organismo. Para isso, os profissionais de saúde podem oferecer água e manter a pessoa em um lugar fresco, com sombra e ventilação, ajudando na recuperação. Dependendo do caso, pode ser necessária hidratação venosa.

É recomendado, também, retirar o máximo de roupas possíveis, deixando a pessoa apenas com peças leves, para que o corpo consiga reagir. Dependendo do caso, o médico pode fazer compressas de água fria e colocar panos molhados para ajudar a baixar a temperatura corporal.

Quais são as possíveis complicações da insolação?

A insolação, em casos mais graves ou quando não tratada adequada e imediatamente, pode provocar diversas complicações em órgãos vitais, como o cérebro, inclusive coma e morte. 

Uma das principais características é a desidratação, que deve ser revertida o mais rápido possível. Sem tratamento imediato, as chances de óbito são altas ou as pessoas ficam com sequelas irreversíveis. Além disso, os rins podem ficar comprometidos. 

Como prevenir a insolação?

É possível prevenir a insolação adotando medidas bem simples. São posturas de auto cuidado e bom senso.

  • Evitar permanecer sob o sol entre as 10 e as 16 horas. Além de insolação, a grande exposição ao sol, com frequência, pode provocar, também, câncer de pele.
  • Use roupas leves, de cores claras e que não fiquem apertadas ao corpo.
  • Use protetor solar com FPS 30 ou mais e evite queimaduras na pele.
  • Beba muitos líquidos, para evitar a desidratação. Prefira água, água de coco e sucos de frutas naturais. Tenha muito cuidado com as bebidas alcoólicas, que em excesso causam desidratação.
  • Ao se exercitar no verão, beba muitos líquidos duas horas antes da atividade, durante e depois.
  • Cuidado com os momentos mais quentes do dia (das 11h às 15h), bebendo bastante água e tentando permanecer na sombra.
  • Evite ficar muito tempo no carro em dias de muito sol, já que o risco nestas situações é maior.
  • Consuma alimentos leves, como frutas e verduras.

IMPORTANTE: Somente médicos devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar medicamentos. As informações disponíveis nesse site possuem apenas caráter informativo e educativo, mas não substituem, em hipótese alguma, avaliação médica.

Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.