Esquema das fake news: vereadores são ameaçados - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí

Esquema das fake news: vereadores são ameaçados

Dois vereadores de Cachoeirinha se interessaram pela denúncia feita por vereador de Gravataí ao Ministério Público e foram ameaçados em rede social caso levem adiante uma investigação no município

Cachoeirinha – O esquema de páginas, grupos e comunidades no Facebook, denunciado pelo vereador de Gravataí, Dilamar Souza, ao Ministério Público, chamou a atenção de dois parlamentares de Cachoeirinha, que foram em busca de informações. E eles foram ameaçados de sofrerem sanções de administradores de páginas em Cachoeirinha.

O esquema denunciado aponta a suposta existência de uma rede no Facebook composta por várias páginas, grupos, comunidades e perfis fakes destinados a atender os interesses de um grupo político. As ações da organização vão deste postagens para destruir reputações de opositores até a publicação de notícias falsas ou distorcidas, fazendo seguidores a tirarem conclusões erradas.

O administrador de um grupo de Cachoeirinha postou na última quarta-feira o seguinte: “Não investigam na CPI e querem investigar páginas? Vai ser interessante”. Ele se referia as duas CPIs realizadas pela Câmara de Vereadores que consumiram mais de R$ 60 mil em perícias. O que as CPIs fizeram foi justamente o que ele disse que não foi realizado.

Os vereadores integrantes da CPI investigaram, mas não conseguiram fazer a aprovação dos relatórios em Plenário, mas um deles já foi apresentado ao Ministério Público e o outro seguirá o mesmo caminho.

Vereadores oposicionistas usaram do argumento de que os relatórios tinham que ser aprovados para uma investigação ser feita, quando na verdade queriam era a aprovação para abrir um processo de cassação contra o prefeito.

Administradores de páginas, que seguidamente fazem “entrevistas” em conjunto, como se fossem jornalistas, seguiram a mesma linha distorcendo a informação manipulando seus seguidores para que entendessem que alguns parlamentares não queriam que a investigação fosse feita. Elas foram feitas, tanto é que somente um relatório, o dos controladores de velocidade, rendeu 1.147 páginas.

A postagem do ativista de rede social rendeu 23 comentários de outros administradores de páginas, entre eles um CC da Câmara de Vereadores de Cachoeirinha, cargo da Mesa Diretora, que aparece na denúncia feita ao Ministério Público de Gravataí por integrar o suposto esquema utilizado para destruir reputações de políticos na Região Metropolitana, conforme o documento protocolado no MP.

Um dos administradores de páginas, disse que todas poderiam se unir contra os dois vereadores. “Tem que ter culhão para dar com os burro na água e virar alvo das páginas. Que tenham certeza do que estão fazendo”, ameaçou o ativista.

LEIA MAIS

CCs da Câmara integrariam esquema de páginas do Facebook denunciado ao MP

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.