Diário de Cachoeirinha vai deixar de circular - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Diário foi fundado em 2003 e iria completar 16 anos em novembro

Diário de Cachoeirinha vai deixar de circular

Informação ainda não é oficial, mas a venda de assinaturas já foi interrompida pela central de vendas do Grupo Sinos

Cachoeirinha – A crise que atinge os jornais impressos nos últimos anos, agravada pelo fraco desempenho da economia, vai tirar de circulação o Diário de Cachoeirinha, principal periódico da cidade. Fundado em novembro de 2003 por Roberto Gomes, hoje diretor do site Seguinte, o DC foi adquirido em 2012 pelo Grupo Sinos, juntamente com o Correio de Gravataí.

Com 15 anos, o impresso só viu sua circulação cair desde 2015 e no mesmo passo seguiu o faturamento em publicidade. Logo após a aquisição, projetando reduzir custos, a direção do Grupo Sinos fechou a sede em Cachoeirinha e unificou as equipes em Gravataí.

Com o agravamento da crise econômica, a necessidade de promover novo enxugamento levou a empresa a praticamente desativar a operação em Gravataí, mantendo apenas um escritório. Os jornais passaram a ser editados no Diário de Canoas. Hoje, somente um jornalista cobre Gravataí e Cachoeirinha e algumas matérias mais relevantes são produzidas pela redação de Canoas.

A última edição, conforme fontes de oreporter.net, está prevista para circular no próximo dia 28. A venda de assinaturas já está suspensa. O noticiário de Cachoeirinha passará a ocupar espaço no Correio de Gravataí. Não há informações ainda se o site será mantido e se o CG poderá circular em Cachoeirinha.

A reportagem tentou contato com o presidente do Conselho de Administração do Grupo Sinos, Carlos Eduardo Gusmão. Ele estava em reunião na manhã desta quinta-feira (13). A empresa irá divulgar nos próximos dias um comunicado ao mercado sobre a decisão tomada e o como pretende dar cobertura ao noticiário de Cachoeirinha.

O fechamento do Diário de Cachoeirinha não é um fenômeno isolado. Nos últimos anos, diversos títulos no Brasil perderam suas versões impressas e a circulação dos maiores vem caindo.

Dados do Instituto Verificador de Circulação (IVC) mostram que 11 jornais analisados pelo Portal Poder 360 perderam 41,4% nas suas tiragens numa comparação entre 2014 e 2017. Enquanto a distribuição de conteúdo na plataforma impressa despenca, na digital ela vem aumentando.

Segundo a revista especializada Meio & Mensagem, no ano passado, os cinco maiores jornais brasileiros cresceram na venda de assinaturas digitais conforme dados do IVC de 2018. O melhor desempenho foi do jornal O Globo. Na comparaçao com 2017, a circulação digital apresentou um incremento de 74,06%, passando de 99.689 mil assinantes para 173.527 mil.

A crise também está atingindo os jornais gratuitos, outro modelo de negócio. No mês passado, o Metrô News passou a operar somente online. Distribuído nas estações do metrô e nos principais pontos da capital paulista, o impresso tinha 45 anos. Já o Metro Jornal, mantido no Brasil pelo Grupo Bandeirantes, encerrou as atividades em Brasília, Campinas (SP) e Rio de Janeiro.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.