Cordeiro assume a Câmara e vai adotar linha dura - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Cordeiro assina o termo de posse - Foto: Roque Lopes/oreporter.net

Cordeiro assume a Câmara e vai adotar linha dura

Transmissão de cargo aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (1) no Legislativo

Cachoeirinha – O novo presidente da Câmara de Vereadores de Cachoeirinha assumiu oficialmente o cargo às 14 horas desta quarta-feira (1). Edison Cordeiro assinou os documentos da transmissão de cargo e recebeu os cumprimentos de Fernando Medeiros. O ato aconteceu na sala da presidência e não contou com a presença de nenhum vereador.

Já a partir desta quinta-feira (2), Cordeiro começa a implementar algumas mudanças na rotina da Casa. O horário de funcionamento, até o final do recesso parlamentar, que termina dia 3 de fevereiro, uma segunda-feira, será somente no turno da manhã, das 8 horas às 12 horas.

Já no dia 4, uma terça-feira, quando reiniciam os trabalhos, o horário seguirá iniciando às 8 horas, mas será estendido até as 14 horas. “Este ano é de eleições e para evitarmos problemas ou reclamações relativas a vereadores envolvidos com a campanha eleitoral, acho melhor que o expediente seja iniciado pela manhã”, explica. As Sessões não mudam. Continuam sendo nas terças, iniciando às 18 horas.

Cordeiro, em termos de estrutura do prédio do Legislativo, quer fazer uma mudança. Quer mudar a sala da presidência para o espaço onde hoje fica a recepção. O espaço atual será unido a outra sala. “Quero criar um espaço aqui para que possamos reunir os 17 vereadores. Há certos assuntos que precisamos conversar com todos juntos e hoje não há espaço para isso”, justifica.

Respeito ao Regimento Interno

Já na condução dos trabalhos em Plenário, o novo presidente revela que vai exigir o respeito ao Regimento Interno. Nas últimas Sessões do ano passado, vários vereadores, por exemplo, se utilizaram do recurso da Questão de Ordem e debates se estabeleceram, o que não é permitido pelo Regimento.

Conforme o conjunto de regras do Legislativo, uma Questão de Ordem “é toda a dúvida suscitada sobre a interpretação ou aplicação” do Regimento. Ela “deve ser objetiva, claramente formulada, com a indicação precisa das disposições regimentais cuja observância se pretenda elucidar, e referir-se à matéria tratada na ocasião. Se o suscitante não indicar, inicialmente, as disposições em que se assenta a questão de ordem, o presidente cassará sua palavra.”

Para Cordeiro, que já foi presidente da Câmara em 2016, essas definições nem sempre foram respeitadas. “Temos que respeitar mais o Regimento para que vários assuntos não se transformem em discussões como chegou a ocorrer”, argumenta.

“Nada errado vai passar”

Na oposição desde que o Republicanos desembarcou da base de apoio ao Governo, Cordeiro revela que vai adotar uma linha dura em todas as matérias que vierem do Executivo. “Nada errado vai passar. Vamos ler cada ponto e cada vírgula”, afirma.

A intenção, segundo ele, não é a de criar obstáculos para travar a governabilidade do prefeito Miki Breier. “Temos que conduzir os trabalhos com responsabilidade e isso significa que todos os cuidados são necessários para que nada errado passe”, enfatiza.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.