Cordeiro admite erro e muda CPI do hospital - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Edison Cordeiro - Foto: Câmara de Vereadores/Divulgação

Cordeiro admite erro e muda CPI do hospital

Presidente da Câmara reconheceu requerimento do vereador Fernando Medeiros e ele será o presidente da CPI

Cachoeirinha – Na noite em que foram definidos os integrantes da CPI da iluminação pública, tendo o oposicionista Nelson Martini como presidente por ser o proponente, e os situacionistas Jussara Caçapava (PSB) e Brinaldo Mesquita (MDB) como membros, o presidente da Câmara de Vereadores, Edison Cordeiro, admitiu que errou no caso da CPI do hospital de campanha.

Publicidade

Ele acabou aceitando o recurso do vereador Fernando Medeiros contra a decisão tomada há três Sessões que reconheceu o requerimento da vereadora Jacqueline Ritter, apresentado de forma física. Medeiros havia protocolado o seu pedido no sistema eletrônico e defendia somente esta forma teria validade. Além disso, no recurso que havia sido ignorado por Cordeiro, o vereador apontava uma série de ilegalidades, como a formação da CPI durante o espaço do Pequeno Expediente, quando deveria ser na Ordem do Dia.

Nesta Sessão desta terça-feira (4), Cordeiro admitiu que errou e colocou em votação o recurso de Medeiros e, pela maioria, ele foi aprovado. Desta forma, a CPI anterior, que tinha a oposicionista Jacqueline Ritter como presidente, deixou de existir. Na próxima Sessão serão escolhidos os outros dois membros para a nova composição e Medeiros será o presidente e responsável por conduzir a investigação.

“Esse presidente não tem vergonha, não tem medo de voltar atrás de certos atos que seja convencido a voltar. Tudo bem que durante esse tempo todo até ameaça eu recebi por ter feito o que fiz aqui, mas eu não estou fazendo isto por causa das ameaças não. Querem me cassar aqui. Para cassar tem que ser 12 votos e, então, não tem 12 votos para cassar o presidente da Câmara [a situação tem 9 votos]. Esta é a resposta a quem me ameaçou”, disse, sem citar nomes. Medeiros comentou que não foi ele o autor da ameaça.

Publicidade
Publicidade
Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.