Templates by BIGtheme NET
Home / ESPORTE / Grêmio / Conmebol confirma River na final da Libertadores
Gallardo indo para o vestiário - Foto Reprodução/SporTV

Conmebol confirma River na final da Libertadores


Tribunal Disciplinar julgou reclamação do Grêmio contra presença do treinador do River, Gallardo, no vestiário durante o intervalo da partida da útima terça


A Conmebol decidiu manter o resultado de campo da última terça-feira (30), quando o Grêmio foi eliminado da Libertadores ao perder de virada por 2 a 1 para o River Plate na Arena. A decisão do Tribunal Disciplinar foi publicada no site da Conmebol na noite deste sábado (3), apenas suspendendo o treinador Marcelo Gallardo por quatro partidas, sendo que na primeira ele não pode entrar no estádio, e mais uma multa de 50 mil dólares.

O Grêmio ajuizou reclamação alegando descumprimento do regulamento geral da Libertadores e do regulamento disciplinar da Conmebol, tendo em vista que Gallardo estava suspenso e não poderia ter ido ao vestiário no intervalo da partida.

Publicidade

Além disso, o treinador argentino foi flagrado durante a partida com um rádio comunicador passando instruções para o auxiliar  Matías Biscay. Outro ponto ressaltado pelos advogados do Grêmio é que o delegado da partida viu Gallardo entrando no vestiário e foi impedido pelos seguranças do River de conferir.

A decisão sobre a reclamação do Grêmio deveria ter sido divulgada na noite de sexta-feira e depois foi adiada para o meio-dia deste sábado. E saiu apenas na noite deste sábado, gerando grande expectativa.

O superclássico argentino entre River e Boca está confirmado. A partida de ida será no próximo dia 10, na Bombonera, e a grande final no dia 24, no estádio do River. O presidente da Argentina, Mauricio Macri, que já foi presidente do Boca, vinha concedendo entrevistas nos últimos dias garantindo segurança para o confronto para que houvesse duas torcidas nos estádios. Os clubes, estavam negociando torcida única.

O que o Grêmio reclamou

O vice jurídico do Grêmio, Nestor Hein, sustentou que houve descumprimento do artigo 176 do regulamento geral da competição e artigos 19, 56 e 76 do regulamento disciplinar da Conmebol. O Grêmio ainda apontou que não houve intervenção do VAR no primeiro gol do River, marcado por Borré com toque de mão, em cruzamento de Pity Martinez.

Gallardo havia colocado Martinez no intervalo e ele foi decisivo. Depois da assistência para o gol de empate, ele converteu o pênalti cometido por Bressan ao tocar com o braço na bola aos 49 minutos do segundo tempo, eliminando o Grêmio.

Gallardo havia sido suspenso na véspera do confronto com o Grêmio por ter atrasado o reinício do jogo de ida, em Buenos Aires. Após a virada na Arena, o treinador do River disse que não cumpriu a regra de não ir ao vestiário e afirmou não estar arrependido. Já na Argentina, em nova entrevista, disse que não deveria ter ido ao vestiário.

O regulamento da Conmebol não define uma punição para os casos nos quais membros da comissão técnica de um clube descumpra uma punição. Ele faz referência somente a utilização indevida de um jogador, conforme disposto nos parágrafos 1 e 2 do artigo 19. Nesse caso, é necessário a equipe adversária registrar uma reclamação oficial em um prazo de até 24 horas após o encerramento do jogo.

A punição desse caso é a mudança do resultado de campo, com o infrator perdendo o confronto por 3 a 0. Já o artigo 56, inciso C do regulamento da Conmebol, faz referência a “incidente grave” que tenha interferido no resultado da partida. O Grêmio entende que Gallardo interferiu no resultado da partida por ter ido ao vestiário e feito mudanças na equipe.

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, em entrevista para à Rádio Gaúcha, disse que a decisão foi sem consistência e nem puniu o River que proporcionou tudo ao Gallardo. “A Conmebol se apequenou e está sendo conivente e condescendente com atos que vão contra ela”, disse.

Bolzan disse que o Grêmio “vai recorrer por uma questão de dignidade”. O prazo é de 7 dias e não pode ser utilizado o efeito suspensivo. O primeiro jogo da final da Libertadores será no próximo sábado, entre River e Boca, na Bombonera.

Veja a decisão do Tribunal Disciplinar

El Tribunal de Disciplina de la CONMEBOL,

RESUELVE

1º. RECHAZAR el reclamo presentado por el GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE en

fecha 31 de octubre de 2018.

2º. CONFIRMAR el resultado de 1 : 2 a favor del CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE del partido

disputado en fecha 30 de octubre de 2018, entre los equipos de GRÊMIO FOOT-BALL PORTO

ALEGRENSE y CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE

3º. PROHIBIR al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO acceder al Estadio en el siguiente

partido de la CONMEBOL Libertadores 2018 conforme al Artículo 20 inciso h) del Reglamento

Disciplinario de la CONMEBOL. Esta prohibición de acceso al estadio incluye la prohibición de

comunicarse por cualquier medio con su Cuerpo Técnico, Oficiales y Jugadores.

4º. SUSPENDER al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO por 3 (tres) partidos. La presente

sanción iniciará su vigencia una vez cumplida la sanción establecida en el punto 3º y se deberá cumplir

conforme a lo dispuesto en el Artículo 76.1 del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL.

5º. IMPONER al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO una multa de USD. 50.000

(CINCUENTA MIL DÓLARES ESTADOUNIDENSES), en virtud al Artículo 12.6 del

Reglamento Disciplinario. El importe de esta multa será debitado automáticamente del monto a

recibir por el CLUB ATLÉTICO RIVER PLATE en concepto de derechos de Televisación o

Patrocinio.

6º. ADVERTIR expresamente al Señor MARCELO DANIEL GALLARDO que, en caso de

reiterarse un incidente de cualquier desacato, irrespeto a los oficiales o cualquier otra infracción a la

disciplina deportiva de igual o similar naturaleza a la que ha traído causa el presente procedimiento

será considerado como situación agravante.

Contra esta decisión cabe recurso ante la Cámara de Apelaciones de la CONMEBOL, en el plazo de

siete días corridos, a partir del siguiente día a la notificación de los fundamentos de la decisión

conforme al Art. 63.3 del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL. Dicho recurso será sin efecto

suspensivo. El recurso deberá cumplir con las formalidades exigidas en los artículos 59 y siguientes

del Reglamento Disciplinario de la CONMEBOL. De conformidad con el Art. 63.5 del Reglamento

Disciplinario de la CONMEBOL, la cuota de apelación de USD. 1.000 (DOLARES

ESTADOUNIDENSES MIL) ha de ser abonada mediante transferencia bancaria.

Eduardo Gross Brown, Presidente; Amarilis Belisario, Vicepresidente; Cristóbal Valdes, Miembro.

Atualizada 03/11/2018 – 21h08min

 

 

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.