Chuvas de novembro afetaram quase 700 mil pessoas no Estado – oreporter.net – Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
São Sebastião do Caí foi uma das cidades atingidas pelos temporais recentes - Foto: Maurício Tonetto/Secom

Chuvas de novembro afetaram quase 700 mil pessoas no Estado

Conforme o último balanço da Defesa Civil estadual, o número de atingidos saltou, nos últimos três dias, de 474.136 para 673.188 pessoas

Publicidade

Quase 700 mil pessoas foram afetadas direta e indiretamente no Rio Grande do Sul em decorrência das chuvas intensas registradas no Estado desde 15 de novembro. Conforme o último balanço da Defesa Civil estadual, o número de atingidos saltou, nos últimos três dias, de 474.136 para 673.188 pessoas.

Publicidade
Publicidade

A quantidade de municípios que reportaram danos e ocorrências aumentou de 208 para 221. Algumas cidades sinalizaram mais de um fato, a exemplo de Lajeado, que comunicou três ocorrências. Por isso, a lista contém, ao todo, 237 itens. O número de pessoas em abrigos públicos caiu de 3.545 para 2.685. Na semana passada, chegou a mais de 28 mil o número de pessoas que tiveram que deixar suas casas.

Publicidade

No episódio de novembro, o Estado registrou, associados às chuvas fortes, vendavais, enxurradas, inundações, soterramentos e uma microexplosão (uma intensa corrente de vento com poder destrutivo). Além de danos humanos, materiais e ambientais, houve prejuízos econômicos e sociais. A dimensão dos impactos sofridos varia de acordo com a situação de cada município.

Na sexta-feira (24), o governo do Estado anunciou a ampliação das transferências fundo a fundo aos municípios afetados por eventos meteorológicos. De R$ 60 milhões, o valor inicial deve aumentar para R$ 110 milhões. A metodologia de repasses do Fundo Estadual da Defesa Civil diretamente para o Fundo Municipal foi estabelecida para desburocratizar o processo e garantir mais celeridade à reconstrução dos municípios.

Publicidade

Desde as enchentes de setembro, o governo do Estado já disponibilizou recursos da ordem de R$ 1,26 bilhão em ações de resposta aos estragos causados por ciclones e chuvas intensas. Os aportes incluem repasses para as áreas da saúde, conservação de estradas, programa Volta por Cima, mobiliário de escolas danificadas, auxílio aluguel e recuperação de solo das áreas atingidas, entre outras iniciativas.

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.