Câmara passa a medir temperatura para permitir acesso - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
A temperatura é medida na porta da Câmara - Foto: Divulgação/CVG

Câmara passa a medir temperatura para permitir acesso

A iniciativa tem o objetivo de prevenir a transmissão do coronavírus

Gravataí – A Câmara Municipal de Gravataí começou nesta sexta-feira (5) a medir a temperatura de todas as pessoas que ingressam no prédio. A iniciativa tem o objetivo de prevenir a transmissão do coronavírus.

Publicidade

Não será permitido o acesso se a pessoa tiver temperatura corporal aferida igual ou superior a 37,8ºC. Esse critério segue o Protocolo de Manejo Clínico da COVID-19 na Atenção Especializada, divulgado pelo Ministério da Saúde.

Caso a pessoa apresente temperatura corporal igual ou acima de 37,8ºC, deverá seguir um protocolo de afastamento da Câmara por um período de 14 dias. Os parlamentares poderão participar da sessão normalmente, já que elas estão sendo realizadas de forma remota. Servidores deverão realizar suas atividades no regime de teletrabalho.

Essas medidas preventivas foram regulamentadas pela Resolução de Mesa nº 11/2020, apresentada na sessão de quinta-feira (4). O período de afastamento de 14 dias segue os protocolos de prevenção obrigatórios recomendados pelo governo estadual.

Publicidade

A verificação de temperatura no acesso é a mais nova de uma série de medidas que a Câmara tomou para prevenção do contágio pelo novo coronavírus. Confira as iniciativas:

– Realização das sessões de forma remota;

– Uso obrigatório de máscaras nas dependências da Câmara, com fornecimento de máscaras aos funcionários da casa;

– Higienização de todos os ambientes, como gabinetes, setores administrativos, recepção, elevadores e corredores;

– Distribuição de álcool em gel em todos os setores;

– Orientação para circulação de ar em todas as salas, com janelas abertas;

– Higienização de calçados na entrada da Câmara com a disposição de panos com água sanitária;

– Limitação no número de pessoas a acessarem as dependências da Câmara, além de suspensão de eventos que causam aglomeração;

– Rodízio de trabalho entre servidores e adoção do home office;

– Afastamento de servidores dentro dos grupos de risco;

– Orientação para não compartilhar objetos, como talheres, xícaras, copos e chimarrão.

Publicidade

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.