Cachoeirinha adota nova estratégia no combate ao mosquito da dengue – oreporter.net – Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Treinamento - Foto: SES/Divulgação

Cachoeirinha adota nova estratégia no combate ao mosquito da dengue

Borrifação Residual Intradomiciliar é realizada num raio de 150 metros de onde há um caso da doença

Cachoeirinha – Com um número elevado de casos de dengue e em estado de emergência, Cachoeirinha passou a usar um novo método de combate ao mosquito Aedes aegypti. A Borrifação Residual Intradomicilar, chamada de BRI, consiste na aplicação de inseticida com poder residual capaz de eliminar os mosquitos que pousam sobre móveis, paredes ou outras superfícies.

Publicidade

“Quando um caso de dengue é notificado, os agentes de combate traçam em um mapa um raio de 150 metros da residência onde vive a pessoa infectada. Na parte da manhã, nossos 16 agentes de endemias percorrem as casas, conversam com os moradores perguntando se aceitam a aplicação de um inseticida dentro da casa. Com as autorizações em mãos, na parte da tarde, uma equipe se desloca e faz a aplicação do inseticida”, explica João Henrique Dobler Lima, biólogo e coordenador da Vigilância em Saúde do município.

Publicidade

Usado um pulverizador costal manual, os agentes aplicam em uma altura de até 1,5 metros o inseticida nas paredes internas das casas. Este veneno tem o poder de combater o mosquito por até quatro meses. “Importante salientarmos que ele é praticamente inofensivo. A quantidade aplicada visa combater o mosquito e outros animais como moscas e baratas. Não há registros de que, nesta quantidade, possa fazer mal para um animal doméstico ou criança”, acrescenta.

Esta metodologia foi testada pela primeira vez em 2023 em alguns municípios gaúchos e já é utilizada em outras regiões do país. O treinamento dos agentes de Cachoeirinha foi dado pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) em dezembro do ano passado. É a SES que fornece o veneno utilizado. Coube à Secretaria Municipal a compra dos equipamentos utilizados pelos agentes.

Publicidade

Eficácia já está aparecendo

O coordenador da Vigilância em Saúde afirma que em duas regiões de foco da doença, após a utilização do BRI, não houve mais registros de novos casos de dengue. “Isso mostra que o inseticida controlou a proliferação do mosquito”, diz.

Para a secretária municipal da Saúde, Bianca Breier, a eficácia deste novo método mostra que será possível combater o Aedes de forma mais rápida. “Há a dificuldade de entrar nas casas em função do trabalho ser realizado, normalmente em horário comercial. Porém, com o decreto de emergência, temos mais facilidade e agora estamos montando estratégias para fazer a aplicação aos sábados ou em horários mais alternativos”, garante.

error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.