BASTIDORES: Manoel é inocente. Faltou combinar com todos os russos - oreporter.net - Notícias de Cachoeirinha e Gravataí
Manoel bem que tentou, mas deu tudo errado - Foto: Arquivo

BASTIDORES: Manoel é inocente. Faltou combinar com todos os russos

Vereador Manoel D`Ávila fez acordo com parte deles e acabou ficando com o pincel na mão no caso do Plano Diretor

A coluna traz hoje uma historinha dos bastidores na Câmara de Vereadores. A noite era para ter sido a da votação do Plano Diretor, mas na fila havia outro projeto importante para a Prefeitura e com uma Câmara dividida, nos bastidores um acordo foi costurado. O vereador Manoel D`Ávila, que está ao lado do Governo, combinou com parte da oposição que pediria vistas no polêmico projeto do Plano Diretor.

Já em troca, ninguém faria oposição a outro projeto que entrou na Ordem do Dia por acordo de lideranças. Este autoriza a Prefeitura a ceder uma área de 70 mil metros quadrados, próxima da estrada dos Capistranos, para a empresa Brasília Guaiba Obras Públicas para pagar uma dívida na casa dos R$ 10 milhões relativa ao contrato rescindido da Fernando Ferrari, calçadas e ciclovias – a Prefeitura deve a atualização e reequilíbrio do contrato.

Este acordo extra-judicial, que prevê ainda isenção de ITBI e do ISS devido pela empresa para a Prefeitura, libera a nova licitação para a conclusão da obra inacabada orçada em quase R$ 54 milhões. Manoel D`Ávila chegou a usar a Tribuna e, entusiasmado com o acordo de bastidores, passou do tom ao gritar defendendo a aprovação do projeto para permitir que a Prefeitura quite a dívida e reinicie a obra.

Ele já tinha feito a parte dele ao pedir vistas ao projeto do Plano Diretor e o debate em torno da troca da área pela dívida foi esquentando a ponto de a Sessão ter sido prorrogada por duas horas. Em dezembro do ano passado, a Prefeitura tentou, sem sucesso, vender os 70 hectares por R$ 14 milhões. Neste acordo extra-judicial, foram juntados três laudos avaliando a área em pouco mais de R$ 6 milhões e até em R$ 2,8 milhões.

Ela entraria no acordo por R$ 8 milhões, mas no texto do projeto não constam valores. O presidente da Câmara, Fernando Medeiros, chegou a sugerir que o Governo refizesse o projeto especificando os números para evitar eventual problemas futuros. Rubens Otávio e Jacqueline Ritter questionaram tamanha disparidade de valores e Alcides Gattini chegou a dizer que a Prefeitura poderia usar o lote para reassentar famílias de áreas invadidas. Teve que ouvir que não fez essa proposta quando foi secretário da Habitação.

Manoel D`Ávila acompanhava as discussões e quando viu, Gattini pediu vistas e o projeto acabou ficando para ser votado na próxima semana. E ele, Manoel, tachado de atrasar ainda mais as mudanças no Plano Diretor.

Onde entram os russos? Primeiro, vamos recordar: reza a lenda que na Copa de 58 o técnico Feola preparou um esquema infalível para vencer a equipe russa. Nilton Santos, após troca de passes no meio campo, lançaria Garrincha atrás do seu marcador. Ele iria até a linha de fundo e cruzaria para a área onde Mazzola já estaria entrando a toda velocidade para marcar o gol. Garrincha, com a camisa no ombro, olhou para o treinador e perguntou: “Tá legal seu Feola, mas o senhor já combinou com os russos?”

D`Ávila até combinou com os russos, mas não com todos. E cá entre nós, não dá para confiar nem nos russos que aceitaram o acordo. O marinheiro de primeira viagem levou uma bola nas costas dos macacos velhos na política.

Compartilhe essa notícia
error: Não autorizamos cópia do nosso conteúdo. Se você gostou, pode compartilhar nas redes sociais.